Disputas Territoriais na Implantação Ferroviária da Província de São Paulo: a Companhia Paulista de Estradas de Ferro e a Questão da Zona Privilegiada, 1868-1892

Marcelo Werner da Silva

Resumo


A implantação ferroviária na província de São Paulo, na segunda metade do
século XIX, contou com diversas companhias disputando o serviço de transporte, destacando-se as companhias Paulista, Mogiana, Ituana e Rio Claro. Isto aconteceu porque a atividade nesta região era muito rentável no período, devido à cultura do café. A disputa por transporte configurou-se como disputas territoriais, através de mecanismos como a zona privilegiada, monopólio em uma extensão geralmente de trinta e um quilômetros de cada lado da linha férrea. Era estabelecido no contrato de concessão, privilegiando as companhias que se instalavam antes, o que acabou por engessar o sistema ferroviário, impossibilitando grandes alterações no sistema ferroviário, em detrimento das regiões atendidas. Destacamos aqui algumas dessas disputas em torno da zona privilegiada, particularmente da Companhia Paulista. Essa era uma das maiores companhias ferroviárias da então província, que buscava através da manutenção de sua zona privilegiada, de seu território ferroviário, manter e ampliar seu sistema de transporte e a lucratividade do seu negócio.


Palavras-chave


Ferrovias, Conflitos Territoriais, Ferrovias - São Paulo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36403/espacoaberto.2012.2090

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2012 Marcelo Werner da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 2237-3071