Desigualdades e Relações Socioeconômicas nas Cidades-Gêmeas da Fronteira Brasil-Bolívia / Inequalities and Socio-economic Relations in the Twin Cities of the Brazilian-Bolivian Border

Vicente Giaccaglini Ferraro Jr

Resumo


Fronteiras são regiões onde as desigualdades socioeconômicas entre países tornam-se mais salientes, influenciando a dinâmica dos fluxos territoriais orientados pela disponibilidade de serviços públicos e oportunidades comerciais. O presente artigo tem por objetivo apresentar os principais elementos de desigualdade que condicionam as interações entre os municípios localizados na fronteira Brasil-Bolívia, com destaque para seus aspectos históricos e políticos, bem como a questões que envolvem educação e saúde. A pesquisa contou com trabalho de campo e entrevistas realizadas nos três maiores grupos de cidades-gêmeas da região, em específico Corumbá/Ladário (Mato Grosso do Sul) – Puerto Quijarro / Puerto Suárez (Santa Cruz, BOL); Guajará-Mirim (Rondônia) – Guayaramerín (Beni, BOL) e Brasileia / Epitaciolândia (Acre) – Cobija (Pando, BOL). Constatou-se que as desigualdades socioeconômicas exercem impacto direto na orientação dos fluxos territoriais entre as urbes fronteiriças, bem como nas relações de estigma que permeiam o cotidiano local.


Palavras-chave


Cidades-Gêmeas; Desigualdades Socioeconômicas; Relações Fronteiriças; Integração Fronteiriça; Fronteira Brasil-Bolívia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36403/espacoaberto.2020.30068

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Vicente Giaccaglini Ferraro Jr

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 2237-3071