Reconfiguración Espacial de Lázaro Cárdenas, México: Diferencias en el Crecimiento entre la Ciudad y el Puerto, 1987-2018 / Spatial reconfiguration in Lázaro Cárdenas, Mexico: Differences Between the City Expansion and the Port Growth, 1987-2018

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36403/espacoaberto.2020.31694

Palavras-chave:

Reconfiguração Espacial, Globalização, Desarticulação, Lázaro Cárdenas, México

Resumo

cidade e o porto de Lázaro Cárdenas apresentam contrastes diferenciados quanto ao seu crescimento que mostram divergências e uma reconfiguração espacial própria. Destacam-se suas características geográficas: localização na Bacia do Pacífico, excelente hidrografia, território com baixas elevações e jazidas minerais na região, fatores que propiciaram a criação de um grande porto inserido na globalização, atualmente, com estrutura de categoria mundial, e a Siderúrgica Lázaro-Cárdenas Truchas, ambos complexos têm desempenhado um papel preponderante. A metodologia aplicada é mista, quantitativa e qualitativa obtida através da cartografia básica com informações associadas. São expostos os antecedentes da criação da cidade e do porto, faz-se a caracterização das transformações espaciais de ambos os locais, o urbano e o portuário, e sua relação com a ocorrência de fatos relevantes ao seu desenvolvimento. Conclui-se haver uma marcante desarticulação entre o crescimento espacial da cidade e o do porto.

Métricas

Carregando Métricas ...

Publicado

2020-05-19

Como Citar

PADILLA Y SOTELO, Lilia Susana; MUÑOZ, Rosa Alejandrina De Sicilia. Reconfiguración Espacial de Lázaro Cárdenas, México: Diferencias en el Crecimiento entre la Ciudad y el Puerto, 1987-2018 / Spatial reconfiguration in Lázaro Cárdenas, Mexico: Differences Between the City Expansion and the Port Growth, 1987-2018. Espaço Aberto, Rio de Janeiro, Brasil, v. 10, n. 1, p. 25–44, 2020. DOI: 10.36403/espacoaberto.2020.31694. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/EspacoAberto/article/view/31694. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Novas e Persistentes questões na Geografia Latino-americana (Parte 2)