Os Sentidos da Urbanização: Produção do Espaço de Bairros de Trabalhadores em Cidades do Estado de São Paulo

Autores

  • Cássio Arruda Boechat Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Daniel Manzione Giavarotti Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.36403/espacoaberto.2015.3313

Palavras-chave:

Bairros de Trabalhadores, Cidades do Agronegócio, Produção do Espaço, Metropolização, Crise do Trabalho.

Resumo

Este artigo apresenta uma proposta de interpretação do processo histórico de constituição de bairros de trabalhadores em cidades do estado de São Paulo até seu momento atual. Primeiramente tomamos como ponto de partida o sistema de colonato implementado na cafeicultura e a produção do espaço articulada à expansão das fazendas, bem como a constituição de núcleos coloniais na província de São Paulo, como momentos contraditórios de sua metropolização. Num segundo momento discutimos a paulatina identificação produzida entre as periferias das cidades do interior com as periferias da metrópole paulistana, a partir da dissolução do sistema de colonato e da tendência à homogeneização das relações de produção dos capitais urbano-industriais e aquelas do complexo agroindustrial. Por fim, sugerimos a relativa semelhança nas condições de reprodução dos trabalhadores moradores das periferias de São Paulo e das cidades do interior a partir de uma ponderação sobre a crise do trabalho e a urbanização crítica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2015-06-11

Como Citar

BOECHAT, Cássio Arruda; GIAVAROTTI, Daniel Manzione. Os Sentidos da Urbanização: Produção do Espaço de Bairros de Trabalhadores em Cidades do Estado de São Paulo. Espaço Aberto, Rio de Janeiro, Brasil, v. 5, n. 1, p. 29–47, 2015. DOI: 10.36403/espacoaberto.2015.3313. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/EspacoAberto/article/view/3313. Acesso em: 25 jun. 2024.