Mapeamento Participativo em Itaboraí: Mudanças na Paisagem com o COMPERJ

Autores

  • Pamela Marcia Ferreira Alves Dionisio Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca
  • Paulo Marcio Leal de Menezes Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.36403/espacoaberto.2022.50955

Palavras-chave:

Mapeamento Participativo, COMPERJ, Itaboraí, Reestruturação Espacial, Mudanças na Paisagem

Resumo

Nas últimas décadas, no Brasil, têm sido realizados megaprojetos em parceria público-privada, os quais vêm promovendo reestrututurações espaciais em múltiplas escalas. No bojo dos megaprojetos existentes, este estudo tem como foco o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ), no município de Itaboraí, visando, assim, levantar e compreender os impactos advindos do momento áureo da construção, bem como do período posterior de impasses e dificuldades do empreendimento no município citado, a partir da perspectiva dos moradores. Como procedimentos metodológicos, foram elaborados mapeamentos participativos, em associação com entrevistas abertas e grupo focal, de forma que os moradores locais puderam ter visibilidade e expor suas próprias percepções acerca do fenômeno que vem ocorrendo em seu território. Em meio aos resultados alcançados, perceberam-se mudanças na paisagem, como a verticalização urbana ocorrida no centro de Itaboraí em função do empreendimento.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Pamela Marcia Ferreira Alves Dionisio, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011), mestrado e doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é professora de Geografia EBTT do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, Campus Maracanã, Rio de Janeiro, atuando no Ensino Médio Técnico Integrado, e como professora do PPRER (Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-raciais). Tem experiência na área de Geografia e de Cartografia, com ênfase em Cartografia escolar, Geografia escolar, Cartografia social, Cartografia Básica, Geografia Humana e relações étnico-raciais.

Paulo Marcio Leal de Menezes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Engenharia de Geodésia e Topografia pelo Instituto Militar de Engenharia (1977), graduação em Engenharia pela Academia Militar das Agulhas Negras (1969), mestrado em Sistemas e Computação pelo Instituto Militar de Engenharia (1987) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000). Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde é o coordenador do GeoCart - Laboratório de Cartografia, do Dep. de Geografia. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Cartografia Básica, Cálculo de Ajustamento e Geodésia, atuando principalmente nas seguintes áreas: cartografia, sensoriamento remoto, geoprocessamento, cartografia digital, cartografia histórica e nomes geográficos (topônimos). Atuou como Vice Presidente da Associação Cartográfica Internacional (ICA/ACI), no período de 2011-2015 dentro do Comitê Executivo da Associação. Atualmente é oVice-Chair da Commissão Conjuta ICA/UGI em Toponímia. Pesquisador 2 do CNPq desde março 2022.

Downloads

Publicado

2022-06-25

Como Citar

DIONISIO, Pamela Marcia Ferreira Alves; DE MENEZES, Paulo Marcio Leal. Mapeamento Participativo em Itaboraí: Mudanças na Paisagem com o COMPERJ. Espaço Aberto, Rio de Janeiro, Brasil, v. 12, n. 1, p. 43–60, 2022. DOI: 10.36403/espacoaberto.2022.50955. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/EspacoAberto/article/view/50955. Acesso em: 19 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)