Espaço, Identidade e Memória: O Lugar em Era Uma Vez Eu, Verônica

Maria Helena Braga e Vaz da Costa

Resumo


Este trabalho explora os conceitos de identidade e memória, com o objetivo de entender como o espaço urbano da cidade de Recife-PE, representado no filme pernambucano Era Uma Vez Eu, Verônica (Marcelo Gomes, 2012), se constrói como lócus da identidade e da memória dos indivíduos que vivenciam o lugar contextualizado na realidade da vida urbana contemporânea. Apresenta-se aqui uma análise do discurso fílmico baseada nas reflexões e discussões desenvolvidas por teóricos como Stuart Hall (2005) acerca das identidades pós-modernas; Joël Candau (2011) sobre a dialética entre identidade e memória e o narrar como fonte de preservação do tempo, em acordo com uma visão antropológica; Yi-Fu Tuan (1983) e Edward Relph (2012) e suas noções de lugar, e das experiências que transformam o espaço em lugar interferindo na identidade do sujeito contemporâneo.

 


Palavras-chave


Espaço; Identidade; Memória; Lugar.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Maria Helena Braga e Vaz da Costa

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSN: 2237-3071