SACRAMENTO AO PÉ DO MAR: BATISMO DE AFRICANOS NA FREGUESIA DA CONCEIÇÃO DA PRAIA, BAHIA. 1700-1751

Carlos Eugênio Líbano Soares

Resumo


O artigo analisa a população africana batizada na freguesia da Conceição da Praia, na cidade de Salvador durante a 1ª metade do século XVIII. Este período se caracteriza por vigoroso aumento do tráfico de escravos africanos, notadamente da África Ocidental, chamados genericamente de minas, que substituíram os africanos centro-ocidentais (chamados na Bahia genericamente Angolas). Apesar de Salvador servir primordialmente como escala do tráfico de escravos para a região das minas, esta a maior consumidora de cativos da África na época, a cidade da Bahia era a grande cidade africana da América portuguesa no período. Ausência de livros de casamento e óbito torna ainda mais valiosa este registro, que mostra a presença forte de mulheres (se contrapondo ao modelo dominante de demografia escrava africana) e a incomum participação de escravos africanos como senhores de outros escravos africanos. A da Conceição da Praia era a preferida pela gente do mar como moradia e trabalho, incluindo os que trabalhavam no mercado atlântico de cativos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



A Revista de História Comparada é um periódico do PPGHC/UFRJ.

http://www.ppghc.historia.ufrj.br/index.php/destaque/publicacoes/revista-de-historia-comparada

ISSN 1981-383X

Revista indexada no DialNet, Latindex e REDIB.