Silêncios, opacidades e regimes de verdade em São Tomé e Príncipe: os contornos da história recente

Augusto Nascimento

Resumo


A propósito de temáticas da história recentes de São Tomé e Príncipe, este texto propõe uma reflexão sobre as relações entre as configurações políticas desde o tempo colonial até ao pós-independência e a construção de narrativas históricas sobre o arquipélago.

Num certo sentido, o conhecimento histórico parece negligenciável dada a intensidade da interlocução pessoal devida à contiguidade numa exígua sociedade insular. Porém, desde o tempo colonial aos regimes do pós-independência, as metanarrativas históricas acerca da condição do arquipélago desempenharam um papel de sustentáculo do poder, hierarquizado e rígido no tempo colonial, assim tendo permanecido no pós-independência. Em ambos os períodos, uma história prospectiva foi criada e arvorada para cerzir as clivagens sociais e políticas.

Sendo a história o crivo fundamental da crítica da condução das sociedades, ela acabou por ser objecto de distorções, opacidades e silêncios, uma deriva acentuada pela falta de amparo de instituições suficientemente fortes para confrontar o poder. Assim, após décadas de democracia representativa, a história continua a padecer de vícios que reflectem a dependência dos historiadores e mais estudiosos, assim como de toda a sociedade, face aos mandantes.

A falta de um pensamento histórico fundamentado e crítico, debatido e aprofundado no espaço público é uma das debilidades da sociedade são-tomense, onde, também por força das enormens privações, os programas políticos são substituídos por lemas emblemáticos que se revelam geradores de descrença política e social e indício da incapacidade de determinação do futuro.


Palavras-chave


São Tomé e Príncipe; conhecimento histórico; história política contemporânea

Texto completo:

PDF

Referências


ALEGRE, Filinto Costa, 2010, “Associação Cívica -- Movimento de Libertação” in http://www.telanon.info/suplemento/entrevista/2010/07/12/4740/associacao-civica-movimento-de-libertacao/, acesso: 10 de Junho de 2016

TINY, Carlos, 2015, “O papel da Associação Cívica na luta pela independência” in http://www.telanon.info/destaques/2015/07/14/19652/o-papel-da-associacao-civica-pro-mlstp-na-luta-pela-independencia/, acesso: 14 de Julho de 2015

TORRES, Gastão, 2012, “Associação Cívica -- Pró Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe” in http://www.telanon.info/suplemento/opiniao/2012/07/05/10767/associacao-civica-pro-movimento-de-libertacao-de-sao-tome-e-principe/, acesso: 8 de Julho de 2012

Jerónimo Moniz e Nilton Medeiros, 2015, São Tomé e Príncipe: Retalhos de uma História, Portugal (documentário)

BRANCO, Rafael e VARELA, Afonso, 1998, Os caminhos da democracia, Amadora

CAHEN, Michel, 1991, “Arquipélagos da alternância: a vitória da oposição nas ilhas de Cabo Verde e de São Tomé e Príncipe” in Revista Internacional de Estudos Africanos nº14-15, IICT-CEAA, Lisboa, pp.113-154

CEITA, João Guadalupe Viegas de, 2012, O Memórias e sonhos perdidos de um combatente pela libertação e progresso de São Tomé e Príncipe, s. l., s. ed.

COELHO, João Paulo Borges, 2011, “Notas em torno da representação africana de África (ou alguns dilemas da historiografia africana)” in RODRIGUES, José Damião e RODRIGUES, Casimiro (ed.), Representações de África e dos Africanos na história e cultura -- séculos XV a XXI, Ponta Delgada, CHAM, pp.281-290

CRUZ Carlos Benigno, 1975, S. Tomé e Príncipe: do colonialismo à independência, Lisboa, Moraes Editores

CRUZ, Elisabeth da Conceição de Fátima Ceita Vera, 1994, O estatuto do indigenato. O indígena em Angola(no) -- A legalização da discriminação na colonização portuguesa, Lisboa, dissertação de mestrado, FCSH-UNL

FALOLA, Toyin, 2004, Nationalism and african intellectuals, University of Rochester Press, Rochester

FERNANDES, Manuel Vaz Afonso, s.d., Os imbróglios das transições em S. Tomé e Príncipe 1974-1991, dissertação de mestrado, Universidade de Coimbra

GRAÇA, Carlos, 2011, Memórias políticas de um nacionalista santomense sui generis, Lisboa, UNEAS

LABAN, Michel, 2002, São Tomé e Príncipe. Encontro com escritores, Porto, Fundação Eng. António de Almeida

MBEMBE, Achille, 2013, África insubmissa. Cristianismo, poder e estado na sociedade pós-colonial, Mangualde, Edições Pedago

NASCIMENTO, Augusto, 2007, Ciências sociais em S. Tomé e Príncipe: a independência e o estado da arte, edição digital, Porto, CEAUP, http://www.africanos.eu/ceaup/uploads.EB005/pdf (acesso: 1 de Dezembro de 2013)

NASCIMENTO, Augusto, 2013b, “Os dividendos do autoritarismo colonial: o impacto e a manipulação do legado colonial na configuração do pós-independência em São Tomé e Príncipe” in PIMENTEL, Irene e REZOLA, Maria Inácia (orgs.), 2013, Democracia, ditadura. Memória e justiça política, Lisboa, Tinta-da-China, pp.259-282

NASCIMENTO, Augusto, 2015b, “A inelutável independência ou os (in)esperados ventos de mudança em São Tomé e Príncipe” in ROSAS, Fernando, MACHAQUEIRO, M. e OLIVEIRA, P. Aires (coord.), O Adeus ao Império, 40 anos de independências, Nova Vega, pp.175-190

NASCIMENTO, Augusto, 2016a, “A farsa da tropa nativa na transição para a independência em São Tomé e Príncipe” in TEL, Irati Unicentro, http://www.revistas2.uepg.br/index.php/tel/article/view/10569#.WcTfYNFrzIU

NASCIMENTO, Augusto, 2016b, “O 25 de Abril, a efémera liberdade e a precocidade do medo em São Tomé e Príncipe” in GONÇALVES, Leandro Pereira e PAREDES, Marçal de Menezes, Depois dos cravos, liberdades e independências, Porto Alegre, EdiPUCRS, pp.101-156

SANTO, Armindo Ceita Espírito, 2008, Economia de S. Tomé e Príncipe entre o regime do partido único e o multipartidarismo, Lisboa, Edições Colibri

SANTO, Armindo Ceita Espírito, 2009, S. Tomé e Príncipe. Problemas e perspectivas para o seu desenvolvimento, Lisboa, Edições Colibri

SANTO, Carlos Espírito, 2012, O nacionalismo político são-tomense, 2 vols., Lisboa, Edições Colibri

SANTO, Carlos Espírito, 2015, A primeira república, Lisboa, Edições Colibri, 2 vols.

SANTOS, Carlos Oliveira, 2014, O Patrice Trovoada. Uma voz africana, Lisboa, Âncora Editora


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Abe-África: Revista da Associação Brasileira de Estudos Africanos



AbeÁfrica: revista da associação brasileira de estudos africanos, ISSN 2596-0873

 

Indexadores: