Novos sentidos da circulação em Moçambique: a produção para exportação nos anos 2010

Antonio Gomes de Jesus Neto

Resumo


A literatura historiográfica costuma atribuir, desde o início do colonialismo em Moçambique, três grandes períodos relativos à sua orientação econômica: o período colonial,  a experiência socialista e a reabertura ao sistema capitalista internacional. Ao longo de todos esses períodos, a circulação sempre foi um elemento-chave da estruturação territorial moçambicana, e em cada um deles um novo sentido foi sendo incorporado nesse processo: primeiro, com a construção colonial de um sistema ferro-portuário voltado à exportação da produção do hinterland da África Austral; depois, com os esforços de criação de um mercado interno e uma integração nacional moçambicana, e a consequente consolidação de um sistema rodoviário no país; e por fim, com a conjunção entre trilhos e rodas na configuração de uma política dos “corredores de desenvolvimento” desde os anos 1990, agora também voltados à produção interna de Moçambique. A virada para os anos 2010 adiciona novos elementos a esse processo, e sem romper com as dinâmicas anteriores, novos sentidos parecem marcar uma nova fase na estruturação da circulação moçambicana. Neste período, apenas 4 produtos (carvão, alumínio, gás natural e energia elétrica) passaram a concentrar cerca de 70% das exportações nacionais, fenômeno acompanhado pelo retorno do sistema ferro-portuário como principal responsável pelo movimento de mercadorias no país. Simultaneamente, a ascensão de economias nacionais de fora dos tradicionais centros hegemônicos do capitalismo dão novos sentidos à circulação em Moçambique, reorientando-a em direção a países como África do Sul, Brasil, China e Índia.


Palavras-chave


produção; circulação; Moçambique; comércio exterior; setor primário

Texto completo:

PDF

Referências


AMIN, Samir. Understanding the Political Economy of Contemporary Africa. In: Africa Development, v. XXXIX, n. 1, 2014, p. 15-36.

ANDERSSON, Per-Ake. Impacto dos Megaprojectos na economia moçambicana. In: ROLIM, C.; FRANCO, A.; BOLNICK, B.; ANDERSON, P. (org.) A Economia Moçambicana Contemporânea: ensaios. Maputo : Imprensa Universitária, 2002. p. 531-558.

ARRIGHI, Giovanni. The African Crisis. In: New Left Review, n. 15, 2002, p. 5-36.

ARROYO, Maria Mónica. Redes e circulação no uso e controle do território. In: ARROYO, Maria Mônica; CRUZ, Rita de Cássia A. (org.) Território e Circulação: a dinâmica contraditória da globalização. São Paulo : Annablume, 2015. p. 37-49.

AURRE, Eduardo; JAÉN, Artur. Las industrias extractivas en Mozambique: amenaza u oportunidad para el desarrollo? In: Revista CIDOB d’Afers Internacionals, n. 110, 2015, p. 189-211.

BANCO MUNDIAL. Mozambique Energy Sector Policy Note. Report. 2015. Disponível em: http://documents.worldbank.org/curated/en/135711468180536987/ACS17091-REVISED-PUBLIC-Mozambique-Energy-Sector-Policy-Note.pdf . Acesso em: 28 de maio de 2019.

BELLUCCI, Beluce. Economia contemporânea em Moçambique: sociedade linhageira, colonialismo, socialismo, liberalismo. Rio de Janeiro : Educam, 2007.

BUCUANE, Aurelio; MULDER, Peter. Expanding exploitation of natural resources in Mozambique: will it be a blessing or a curse? In: BRITO, L.; CASTEL-BRANCO, C. N.; CHICHAVA, S.; FRANCISCO, A. (org.) Reflecting on Economic Questions. Maputo : IESE, 2009. p. 104-153.

CASTEL-BRANCO. Economia extractiva e desafios de industrialização em Moçambique. In: BRITO, L.; CASTEL-BRANCO, C. N.; CHICHAVA, S.; FRANCISCO, A. (org.) Economia Extractiva e Desafios de Industrialização em Moçambique. Maputo : IESE, 2010. p. 19-109.

CHILUNDO, Arlindo. Subsídios para o estudo do transporte rodoviário na província de Nampula (1930-54). In: Revista Cadernos de História (Boletim do Departamento de História da UEM), n. 8, 1990, p. 73-90.

_____. Os camponeses e os caminhos de ferro e estradas em Nampula (1900-1961). Maputo : Promédia, 2001.

DIOGO, Luísa. A sopa da madrugada. Das reformas à transformação econômica e social em Moçambique: 1994-2009. Maputo : Plural Editores, 2013.

DOMINGOS, Agostinho A. O. Governação empresarial nas filiais de grandes empresas em países em desenvolvimento: o caso da Mozal em Moçambique. Dissertação (Mestrado em Gestão), Departamento de Finanças, ISCTE Bussiness School, Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa, 2010.

ELECTRICIDADE DE MOÇAMBIQUE (EDM). Relatório Anual de Estatística 2015. Maputo : EdM, 2016. Disponível em: www.edm.co.mz/pt/website/page/relatórios . Acesso em: 13 de junho de 2019.

FONSECA, Madalena Pires. Os Corredores de Desenvolvimento em Moçambique. In: AFRICANA STUDIA – Universidade do Porto, n. 6, 2003, p. 201-230.

FRANCO, Cayo de Oliveira. Corredores de desenvolvimento em Moçambique. Transporte, desenvolvimento e integração regional. Dissertação (Mestrado em Geografia), Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA (INE). Estatísticas dos Transportes e Comunicações 2009-2011. Maputo : INE, 2012. Disponível em: www.ine.gov.mz/estatisticas/estatisticas-sectoriais/transporte-e-comunicacao . Acesso em: 02 de junho de 2020.

_____. Estatísticas dos Transportes e Comunicações 2014. Maputo : INE, 2015. Disponível em: www.ine.gov.mz/estatisticas/estatisticas-sectoriais/transporte-e-comunicacao . Acesso em: 02 de junho de 2020.

_____Moçambique: Anuário Estatístico 2016. Maputo : INE, 2017. Disponível em: www.ine.gov.mz/estatisticas/publicacoes/anuario . Acesso em: 14 de junho de 2019.

_____. Moçambique: Anuário Estatístico 2017. Maputo : INE, 2018a. Disponível em: www.ine.gov.mz/estatisticas/publicacoes/anuario . Acesso em: 14 de junho de 2019.

_____. Estatísticas dos Transportes e Comunicações 2017. Maputo : INE, 2018b. Disponível em: www.ine.gov.mz/estatisticas/estatisticas-sectoriais/transporte-e-comunicacao . Acesso em: 14 de junho de 2019.

_____. Moçambique: Anuário Estatístico 2018. Maputo : INE, 2019a. Disponível em: www.ine.gov.mz/estatisticas/publicacoes/anuario . Acesso em 14 de maio de 2020.

_____. Estatísticas dos Transportes e Comunicações 2018. Maputo : INE, 2019b. Disponível em www.ine.gov.mz/estatisticas/estatisticas-sectoriais/transporte-e-comunicacao . Acesso em: 02 de junho de 2020.

ISAACMAN, Allen; ISAACMAN, Barbara. Extending South Africa’s tentacles of empire: the deterritorialization of Cahora Bassa Dam. In: Journal of Southern African Studies, v. 41, n. 3, 2015, p. 541–560.

JESUS NETO, Antonio Gomes. Entre trilhos e rodas: fluidez territorial e os sentidos da circulação de mercadorias em Moçambique. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo (FFLCH/USP), São Paulo, 2016.

LAMOSO, Lisandra Pereira. Fluxos e redes técnicas no comércio de minério no território brasileiro. In: SILVEIRA, M. R. (org.) Circulação, transportes e logística. Diferentes perspectivas. São Paulo : Outras Expressões, 2011. p. 355-376.

MONIÉ, Frederic. Globalização, modernização do sistema portuário e relações cidade-porto

no Brasil. In: SILVEIRA, M. R. (org.). Circulação, transportes e logística. Diferentes perspectivas. São Paulo : Outras Expressões, 2011. p. 299-330.

_____. A África subsaariana diante da pandemia de Coronavírus/COVID-19: difusão espacial, impactos e desafios. In: Espaço e economia, ano IX, n. 18, 2020, p. 1-26.

MOSCA, João. Economia de Moçambique: século XX. Lisboa : Instituto Piaget, 2005.

POWER, Marcus; KIRSHNER, Joshua. Powering the state: the political geographies of electrification in Mozambique. In: Politics and Space, n. 0, v. 0, 2018, p. 1-21.

ROSSI, Amanda. Moçambique, o Brasil é aqui. Rio de Janeiro : Record, 2015.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço. Técnica e tempo. Razão e emoção. 4ª edição, 7ª reimpressão. São Paulo : Edusp, 2012.

_____; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro : Record, 2001.

SARAIVA, José Flávio Sombra. A África na Ordem Internacional do Século XXI: mudanças epidérmicas ou ensaios de autonomia decisória? In: Revista Brasileira de Política Internacional, v. 51, n. 1, 2008, p. 87-104.

SILVEIRA, Márcio Rogério. Geografia da circulação, transportes e logística: construção epistemológica e perspectivas. In: _____ (org.). Circulação, transportes e logística. Diferentes perspectivas. São Paulo : Outras Expressões, 2011. p. 21-68.

VIEIRA, Viviane Alves. Os reassentamentos da Vale em Moçambique: um estudo sobre a mobilização do trabalho e trabalho supérfluo. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo (FFLCH/USP), São Paulo, 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 AbeÁfrica: Revista da Associação Brasileira de Estudos Africanos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

AbeÁfrica: revista da associação brasileira de estudos africanos, ISSN 2596-0873

 

Indexadores: