ROSTO EM SUSPENSO: MARCOS INICIAIS DA VIDEOARTE NO BRASIL / Suspended face: video art’smilestones in Brazil

Felipe Scovino

Resumo


O artigo analisa algumas obras iniciais da produção de videoarte no Brasil em meados dos anos 1970, tendo como estudo de caso as produções de Anna Bella Geiger, Letícia Parente e Sonia Andrade. Em particular, o signo de um rosto apagado, ocultado, suspenso ou desfigurado que aparece nas produções analisadas. Sob a perspectiva do conceito de rostidade, de Deleuze e Guattari, o artigo discute as implicações estéticas e políticas que essas produções trazem em um Brasil patriarcal e sob o regime da ditadura militar.

Palavras-chave: Anna Bella Geiger; Sonia Andrade; Letícia Parente; Videoarte; Rostidade.

Abstract

The paper analyzes some early works of video art production in Brazil in the mid-1970s, taking as case study the productions of Anna Bella Geiger, Letícia Parente and Sonia Andrade. In particular, the sign of an erased, hidden, suspended or disfigured face that appears in theirs productions. Addressing the concept of faciality, by Deleuze and Guattari, the paper discusses the aesthetic and political implications that these productions bring to a patriarchal Brazil under the regime of the military dictatorship.

Keywords: Anna Bella Geiger; Sonia Andrade; Letícia Parente; Video Art; Faciality



Texto completo:

PDF

Referências


DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia 2. vol. 3. 2ª ed. São Paulo: Editora 34, 2012.

KRAUSS, Rosalind. Vídeo: a estética do narcisismo. In: FERREIRA, Glória; FILHO, Paulo Venancio. Arte e Ensaios, n.13, p. 144-157. Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, Escola de Belas Artes, UFRJ, 2006.

NICIÉ, Michelle. A máquina abstrata da rostidade: notas sobre artes, literatura e filosofia a partir de Samuel Beckett. In: SMALL, Daniele Avila (ed.). Questão de crítica: revista eletrônica de críticas e estudos teatrais, Rio de Janeiro, 10 mai. 2008. Disponível em: http://www.questaodecritica.com.br/2008/05/a-maquina-abstrata-da-rostidade/. Acesso em: 21 fev. 2020.




DOI: https://doi.org/10.37235/ae.n39.3

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 
 Revista arte e ensaios

e-ISSN: 2448-3