ANTONIO DIAS: CAMPOS DO DESEJO NO ESPAÇO PÚBLICO DA ARTE / Antonio Dias: desire’s fields in the public space of art

Fernanda Lopes Torres

Resumo


Uma relação entre arte e política parece constante na trajetória de Antonio Dias. Dos desenhos e quadros-objetos dos anos sessenta à densa materialidade das pinturas de campo de cor dos anos noventa e dois mil, passando pelas telas diagramadas dos anos setenta, esses trabalhos apresentam um domínio da escala coerente com o entendimento da arte como ação no espaço público. Reconhecemos na experiência de fabricação artesanal de papel no Nepal a efetiva vivência do trabalho como passagem para a esfera dessa ação, que é eminentemente política. O cosmopolita Dias deseja participar de fato do mundo em comum partilhado pelos homens, quer afirmar sua singularidade ao outro, e bem sabe que esta somente pode se manifestar através de ação na esfera pública.

Palavras-chave: Arte contemporânea; Espaço público; Antonio Dias.

Abstract

A relation between art and politics seems constant in Antonio Dias’ artistic trajectory. From the drawings and picture-objects of the sixties to the dense materiality of the paintings of the nineties, and also in the diagrammed screens of the seventies, these works present a mastery of scale that is coherent with the understanding of art as an action in the public space. We acknowledge in the experience of handmade paper manufacturing in Nepal the effective experience of the intererference of art in society. The artist wishes that his ouvre actually take part in the common world shared by men, he wants to assert there his singularity, and he knows that this could just be manifested through action in the public sphere.

Keywords: Contemporary art; Public space; Antonio Dias.


Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

DIAS, Antonio. Palavra do Artista: Entrevista a Lúcia Carneiro e Ileana Pradilla. Antônio Dias. Rio de Janeiro. Lacerda Editores/Centro de Arte Hélio Oiticica, 1999.

DIAS, Antonio. Antonio Dias: depoimento. Entrevista a Roberto Conduru e Marília Andrés Ribeiro. Belo Horizonte: C/Arte, 2010.

DIAS, Antonio; OITICICA, Helio. “Especial para o Livro-projeto de Antonio Dias. Notas originais (inéditas) de Helio Oiticica e Antonio Dias para o álbum Trama, Londres, 1969”. In Antonio Dias. São Paulo: Cosac Naify/ APC, 2015.

DUARTE, Paulo Sérgio. “Exigência reflexiva e rigor poético”. In DIAS, Antonio. Antonio Dias. São Paulo: Cosac Naify/APC, 2015.

LAFER, Celso. “A Política e a Condição Humana” (Posfácio a Condição Humana). In ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

OITICICA, Hélio, “Vivência do Morro do Quieto” (1966). In: BASUALDO, Carlos (org.), Tropicália: uma revolução na cultura brasileira. São Paulo: Cosacnaify, 2007.

PEDROSA, Mário. “Do Pop Americano ao Sertanejo Dias”. In ARANTES, Otília (org.). Acadêmicos e Modernos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1998.

PINACOTECA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Antonio Dias: Antwhere is my land. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2010.




DOI: https://doi.org/10.37235/ae.n39.11

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 
 Revista arte e ensaios

e-ISSN: 2448-3