Mira Schendel: um olhar sobre a vacuidade

Beatriz Rocha Lagoa

Resumo


De acordo com os depoimentos de Mira Schendel, ratificados por Haroldo de Campos e Mario Schenberg, é possível associar o seu pensamento plástico aos princípios fundamentais do budismo mahayana. Neste artigo, analisamos as pinturas Mandala e I Ching, e as séries Monotipias, Droguinhas e Trenzinhos, considerando a relevância dessa visão de mundo na obra da artista.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.