Mudanças Paleoambientais Baseadas em Palinofácies do Intervalo Albiano – Maastrichtiano da Bacia Pernambuco, Nordeste do Brasil

Juan David Vallejo Ramírez, Marcelo de Araujo Carvalho, Viviane Segundo Faria Trindade, Sônia Maria Oliveira Agostinho da Silva, Mario Lima Filho

Abstract


Com o intuito de inferir condições paleoambientais para o Cretáceo da Bacia de Pernambuco, análises de palinofácies foram realizadas em 26 amostras coletadas no poço IATE 1-LABIO-PE3. O estudo compreende o intervalo Albiano-Maastrichtiano representado pelas formações Cabo, Estiva, Itamaracá e Gramame. Seis associações de partículas de matéria orgânica foram estabelecidas: Matéria orgânica amorfa (MOA), Opacos, Não-opacos, Degradados, Esporomorfos e Marinhos. As mudanças na abundância das partículas orgânicas permitiram a identificação de quatro intervalos paleoambientais, que coincidem com as formações estudadas. Os resultados indicam uma mudança de paleoambientes marinho muito raso com influência fluvio-deltaica para um marinho mais aberto, refletindo uma progressiva influência marinha na seção estudada.

Keywords


Bacia de Pernambuco; Variações do nível do mar; Cretáceo; Matéria orgânica



DOI: https://doi.org/10.11137/2018_3_186_194

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SCImago Journal & Country Rank
Associado Diadorim Associado Latindex ROAD ISSN REDIB ISSN Google Acadêmico DRJI DOAJ GeoRef Clarivate

ISSN 0101-9759 e-ISSN 1982-3908