Caracterização Tecnológica e Mineralógica dos Itabiritos Quartzo-Dolomítico e Dolomítico da Mina de Jangada, e Uso da Separação Magnética como Método de Concentração

Natercia Lage Duarte Cruz Drumond Junia, Rosaline Cristina Figueiredo e Silva, Paulo Roberto Gomes Brandão

Abstract


Existe a necessidade crescente de aproveitamento de minérios de ferro com teores de ferro cada vez mais baixos. Para tal aproveitamento, são indispensáveis estudos de caracterização tecnológica e mineralógica do material. Neste trabalho, foram analisadas duas amostras de itabiritos carbonáticos com baixos teores de Fe para verificar a viabilidade da separação magnética como método de concentração. A amostra de itabirito quartzo-dolomítico apresenta em sua composição 28,68% de Fe, com grande quantidade de CaO (6,15%) e SiO2 (42,29%). A mineralogia é composta basicamente por magnetita, quartzo e dolomita. Os resultados da etapa rougher de separação magnética mostrou um aumento de teor de Fe para 56,43%, com uma recuperação de 88,24%, sendo necessária uma etapa cleaner para purificação do concentrado. A amostra de itabirito dolomítico apresenta em sua composição uma baixa quantidade de SiO2 (0,91%) e teor de Fe de 35,27%, com a presença majoritária de hematita. O resultado da etapa rougher da separação magnética apresentou um aumento do teor de Fe para 65,46%, já caracterizado como produto final. A etapa scavenger recuperou boa parte do Fe (72,63%) perdido na etapa rougher. No geral, a separação magnética se mostrou um método eficiente para a concentração de itabiritos dolomítico e quartzo-dolomítico.

Keywords


Caracterização; Separação Magnética; Itabirito dolomítico; Itabirito quartzo-dolomítico



DOI: https://doi.org/10.11137/2018_3_195_206

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SCImago Journal & Country Rank
Associado Diadorim Associado Latindex ROAD ISSN REDIB ISSN Google Acadêmico DRJI DOAJ GeoRef Clarivate

ISSN 0101-9759 e-ISSN 1982-3908