Aplicação de um Modelo de NDVI para Detecção Multitemporal de Mudanças no Uso e Cobertura do Solo

Sumaia Resegue Aboud Neta, Edilson de Souza Bias, Ricardo Seixas Brites, Celso Ap. Martins dos Santos

Resumo


O estudo objetivou aplicar um modelo de detecção de mudanças utilizando-se o Índice de Vegetação de Diferença Normalizada (NDVI) na análise da evolução da cobertura vegetal no Distrito Federal, onde se situa a capital do Brasil, avaliando as mudanças em um período de 33 anos, entre 1984 e 2017. O NDVI foi calculado com base nas imagens Landsat 5 (TM) e 8 (OLI). A partir dos valores extraídos, uma operação de subtração de NDVI foi realizada. As anomalias foram espacializadas e o resultado de mudanças positivas e negativas analisado. O total de anomalias foi próximo de 185 km2 (~ 6,4%), dos quais 130 km2 foram de anomalias negativas (~ 4,5%) e 55 km2 de positivas (~ 2%). As positivas representaram áreas que em 1984 não eram vegetação e se tornaram em 2017, como possíveis reflorestamentos, tendo crescido ao longo dos anos. As negativas são áreas com vegetação decrescente, indicando um possível desmatamento em virtude da diminuição da atividade fotossintética como, por exemplo, aquela ocasionada pela expansão urbana. Tal anomalia caracteriza-se pelos valores negativos de NDVI na operação de subtração. Da análise concluiu-se que o modelo pode ser aplicado como um indicador de oscilação e tendências multitemporais no uso e na cobertura do solo.

Palavras-chave


Uso do solo; Cobertura do solo; Detecção de mudanças; NDVI; Sensoriamento remoto

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.11137/2018_3_592_604

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank