Análise da Distribuição Espacial do Potencial Natural de Erosão de Quatro Áreas com Diferentes Topografias

João Pedro Inacio Alves, Samuel de Assis Silva

Abstract


A erosão é um grande problema ambiental e um dos principais fatores de degradação do solo, reduzindo o potencial agrícola das áreas e gerando o assoreamento de canais fluviais. Para entender o comportamento do solo e estabelecer práticas conservacionistas para controle da erosão é muito utilizado no modelo de estimação de perda de solo a Equação Universal da Perda de Solo (EUPS). Outro índice utilizado no estudo da erosão é o Potencial Natural de Erosão (PNE), que é baseado na EUPS, o qual, aliado a geoestatística, é capaz de produzir bons resultados. Dessa forma, buscou-se com este trabalho avaliar a distribuição espacial do potencial natural de erosão em diferentes áreas de produção de café, utilizando análises geoestatísticas e técnicas de interpolação de dados. O estudo foi realizado para quatro áreas de produção de café localizadas em Araponga - MG. O PNE foi determinado através da EUPS suplantada das variáveis referentes ao fator uso e manejo do solo (C) e fator prática conservacionista (P). Foram testadas duas metodologias, a álgebra de mapas e a interpolação do PNE, e analisou-se o erro do mapa final para os dois métodos. O fator erodibilidade (K) apresentou dependência espacial para as áreas 01, 03 e 04, com índice de dependência espacial de moderado a forte, enquanto que o PNE apresentou dependência espacial para todas as áreas de estudo, com índice de dependência espacial forte. Todas as áreas tiveram PNE classificado como muito baixo, com exceção da área 01, que apresentou maiores valores de PNE devido a maior declividade e erodibilidade encontrada na parte mais alta da área. Independentemente da área, os valores mais baixos de PNE, estão associados principalmente, a distribuição espacial das frações granulométricas, que condicionam o fator K. A forma que é calculado o mapa final pode resultar em diferentes resultados, acumulando mais ou menos erros. Dentre os dois métodos utilizados o método 2 proporcionou melhores resultados, atingindo menores erros e permitindo um processamento mais rápido.

Keywords


Geotecnologia; Erosão; Métodos de interpolação

References


Bertoni, J. & Lombardi Neto, F. 1999. Conservação do Solo.

São Paulo, Ícone, 355p.

Brevik, E.C.; Cerdà, A.; Mataix-Solera, J.; Pereg, L.; Quinton,

J.N.; Six, J. & Van Oost, K. 2015. The Interdisciplinary Nature of Soil. SOIL, 1(1): 117-129.

Cajazeira, J.P. & Assis Júnior, R.N. 2011. Variabilidade Espacial das Frações Primárias e Agregados de Um Argissolo no Estado do Ceará. Revista Ciência Agronômica,

(2): 258-267.

Campos, M.C.C.; Marques Junior, J.; Pereira, G.T.; Montanari,

R. & Siqueira, D.S. 2007. Variabilidade Espacial da

Textura de Solos de Diferentes Materiais de Origem

em Pereira Barreto, SP. Revista Ciência Agronômica,

(2): 149-157.

Carvalho, N.O. 1994. Hidrossedimentologia Prática. Rio de Janeiro, CPRM, 372p.

Coutinho, L.M.; Cecílio, R.A.; Garcia, G.O.; Xavier, A.C.; Zanetti, S.S. & Moreira, M.C. 2014. Cálculo do Fator LS

da Equação Universal de Perdas de Solos (EUPS) Para

a Bacia do Rio da Prata, Castelo-ES. Revista Agro@

mbiente On-line, 8: 1-9.

Dechen, S.C.F; Telles, T.S.; Guimarães, M.F. & De Maria, I.C.

Perdas e Custos Associados à Erosão Hídrica

em Função da Cobertura de Solo. Bragantia, 74(2):

-233.

Ganasri, B.P. & Ramesh, H. 2016. Assessment of Soil Erosion

by RUSLE Model Using Remote Sensing and GIS - A

Case Study of Nethravathi Basin. Geoscience Frontiers, 7(6): 953-961.

Gaubi, I.; Chaabani, A.; Ben Mammou, A. & Hamza, M.H.

A GIS-based Soil Erosion Prediction Using the

Revised Universal Soil Loss Equation (RUSLE) (Lebna Watershed, Cap Bon, Tunisia). Natural Hazards,

: 219-239.

Isaaks, E.H. & Srivastava, R.M. 1989. An Introduction to Applied Geostatistics. New York, Oxford University

Press, 561p.

Júnior, A.A.C. 2016. Erosão Hídrica e Transporte de Sedimentos na Bacia do Ribeirão Cachoeirinha, Rio Claro

(SP). Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Dissertação de Mestrado,

p.

Lagrotti, C.A.A. 2000. Planejamento Agroambiental do Município de Santo Antônio do Jardim, SP: Estudo de Caso

na Microbacia Hidrográfica do Córrego do Jardim.

Faculdade de Engenharia Agrícola, Universidade Estadual de Campinas, Tese de Doutorado, 115p.

Mabit, L.; Bernard, C.; Makhlouf, M. & Laverdière, M.R. 2008.

Spatial Variability of Erosion and Soil Organic Matter

Content Estimated From 137Cs Measurements and

Geostatistics. Geoderma, 145(3): 245-251.

Magalhães, I.A.I.; Nery, C.V.M.; Zanetti, S.S.; Pena, F.E.R.;

Avelino, R.C. & Santos, A.R. 2012. Uso de Geotecnologias para Estimativas de Solos e Identificação das

Áreas Susceptíveis a Erosão Laminar na Sub-bacia

Hidrográfica do Rio Vieira, Municipio de Montes Claros-MG. Cadernos de Geociencias, 9(2): 74-84.

Mello, G.; Bueno, C.R.P. & Pereira, G.T. 2006. Variabilidade

Espacial de Perdas de Solo do Potencial Natural e Risco de Erosão em Áreas Intensamente Cultivadas. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental,

(2): 315-322.

Miyazaki, L.C.P; Silva, E.C.N. & Nunes, J.O.R. 2017. Transformações na Paisagem e Formação de Depósitos Tecnogênicos em Conjuntos Habitacionais de Presidente

Prudente-SP. Revista Formação (ONLINE), 25(1):

-131.

Morais, R.C.S. & Sales, M.C.L. 2017. Estimativa do Potencial

Natural de Erosão dos Solos da Bacia Hidrográfica do

Alto Gurguéia, Piauí-Brasil, com Uso de Sistema de

Informação Geográfica. Caderno de Geografia, 27:

-105.

Sanchez, R.B.; Marques Júnior, J.; Souza, Z.M.; Pereira, G.T. &

Martins Filho, M.V. 2009. Variabilidade Espacial de

Atributos do Solo e de Fatores de Erosão em Diferentes Pedoformas. Bragantia, 68(4): 1095-1103.

Silva, S.A.; Lima, J.S.S.; Oliveira, R.B.; Souza, G.S. & Silva,

M.A. 2007. Análise Espacial da Erosão Hídrica em

Um Latossolo Vermelho Amarelo Sob Cultivo de

Café Conilon. Revista Ciência Agronômica, 38(4):

-342.

Silva, S.A.; Lima, J.S.S.; Souza G.S. & Oliveira, R.B. 2008.

Avaliação de Interpoladores Estatísticos e Determinísticos na Estimativa de Atributos do Solo em Agricultura de Precisão. IDESIA, 26(2): 75-81.

Silva, S.A. 2012. Terroir de Café em Lavouras no Munícipio

de Araponga – MG. Programa de Pós-Graduação em

Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Viçosa,

Tese de Doutorado, 109 p.

Souza, L.A. & Sobreira, F.G. 2017. A Avaliação da Geração de

Sedimentos ao Longo da Bacia Hidrográfica do Ribeirão do Carmo. Potencial Natural de Erosão, Feições

Morfológicas e Cicatrizes de Movimentos de Massa.

Geociências, 36(2): 285-299.

Teixeira, P.C.; Donagemma, G.K.; Fontana, A.; Teixeira, W.G.

(Eds). 2017. Manual de Métodos de Análise de Solo.

Brasília, EMBRAPA, 3. ed., 574p.

Vaezi, A.R.; Hasanzadeh, H. & Cerdà, A. 2016. Developing an

Erodibility Triangle for Soil Textures in Semi-arid regions, NW Iran. Catena, 142: 221-232.

Warrick, A.W. & Nielsen, D.R. 1980. Spatial Variability of Soil

Physical Properties in the Field. In: HILLEL, D. (ed.)

Applications of soil physics. Academic Press, p. 319-

Wischmeier, W.H. & Smith, D.D. 1978. Predicting Rainfall

Erosion Losses: A Guide to Conservation Planning.

Washington, United States Department of Agriculture,

p.

Xavier, A.C.; King, C.W. & Scanlon, B.R. 2016. Daily Gridded Meteorological Variables in Brazil (1980–2013).

International Journal of Climatology, 36: 2644-2659.

Zimback, C.R.L. 2001. Análise Espacial de Atributos Químicos

de Solos para Fins de Mapeamento da Fertilidade do

Solo. Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista, Tese de Doutorado, 114p.




DOI: https://doi.org/10.11137/2020_2_199_207

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.