Análise da Qualidade dos dados SRTM ao Longo de Todo o Território Brasileiro

Francisco Cristiano Orlando, Edilson de Souza Bias

Abstract


No Brasil, diversos estudos já foram realizados visando analisar diferentes Modelos Digitais de Elevação (MDE), como os dados oriundos do Shuttle Radar Topography Mission (SRTM), Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer (ASTER), entre outros, usando diferentes técnicas, sem contudo, avaliar as diferenças topográficas existentes em um país continental como é o Brasil e, estabelecendo escalas que podem ser utilizadas regionalmente e globalmente. Desta forma o objetivo principal do presente estudo é avaliar a qualidade dos dados SRTM para todo o território brasileiro, tendo como base as diferenças topográficas e, consequentemente as declividades, onde o resultado do Padrão de Exatidão Cartográfica (PEC) em áreas piloto compartimentadas em classes de declividade distintas, são extrapolados para todo o território brasileiro a partir do mapa de declividade do Brasil, além de testar e apresentar novos MDEs com a melhor qualidade possível, a partir do dado SRTM, por meio da aplicação de diversos métodos de interpolação. Neste estudo, foram utilizados para análise os dados SRTM de 30 metros de resolução espacial, disponibilizado pela National Aeronautics and Space Administration (NASA) a partir de 2013. Para a avaliação do mesmo, foram utilizados como verdade de campo (referência), dados altimétricos medidos em campo por meio do sistema de posicionamento por satélite Global Navigation Satellite Systems (GNSS) pós processado. Os resultados apresentados neste estudo mostram que a qualidade do SRTM é compatível com o PEC A (Analógico) e PEC B (Digital) para a escala de 1/50.000 nas regiões norte, nordeste e centro-oeste, já para as demais regiões, sul e sudeste, a qualidade é compatível com o PEC B (Analógico) e PEC C (Digital) para a mesma escala, e que não foi possível melhorar a qualidade do SRTM após processo de interpolação para as áreas com declividade até 45% e ainda que apenas os métodos de interpolação (topo to raster) e (krigagem) foram capazes de melhorar a qualidade do SRTM nas áreas com declividade acima de 45%.

Keywords


PEC; SRTM; Declividade

References


BRASIL. 1984. Decreto N° 89.817 de 20 de Junho de 1984.

Normas Técnicas da Cartografia Nacional. Disponível em . Acesso em: 23 ago.

BRASIL, 1988, Constituição da República Federativa do Brasil

de 1988. Art. 21. Disponível em: .

Burrough, P.A. & McDonnel, R.A. 1998. Principles of Geographical Information System. 2ª ed. New York, Oxford University Press, 356p.

Carmo, E.J.; Rodrigues, D.D. & Santos, G.R. 2015. Avaliação

dos interpoladores “krigagem” e “topo to raster” para

geração de modelos digitais de elevação a partir de

um “as built”. Boletim de Ciências Geodésicas, 21(4):

-690.

Celestino, V.S. 2014. Considerações sobre a qualidade altimétrica para projetos de usinas hidrelétricas. Programa

de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Tese de

Doutorado, 347p.

Cruz, C.B.M.; Barros, R.S. & Rabaco, L.M.L. 2012. “Planialtimetric Accuracy Evaluation of Digital Surface Model

(DSM) and Digital Terrain Model (DTM) Obtained

from Aerial Survey with LIDAR.”. ISPRS Journal of

Photogrammetry and Remote Sensing, 39: 45-48.

Gomes, M.M. 2011. Method Expeditious on New Routes of

Railway for Freight Transportation. Programa de Pós-

-Graduação em Engenharia, Escola de Engenharia de

São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos,

Dissertação de Mestrado, 191p.

Höhle, J. & Höhle, M. 2009. Accuracy Assessment of Digital

Elevation Models by Means of Robust Statistical Methods. ISPRS Journal of Photogrammetry and Remote

Sensing, 64(4): 398-406.

Hutchinson, M.F.; Stein, J.A.; Stein, J.L. & Xu, T. 2009. Locally

Adaptive Gridding of Noisy High Resolution Topographic Data. In: 18th WORLD IMACS CONGRESS

AND MODSIM09 PROCEEDING INTERNATIONAL CONGRESS ON MODELLING AND SIMULATION, Cairns, Austrália, 2009. Cairns, Austrália, p.

-2499.

Mazzini, P.L.F. & Schettini, C.A.F. 2009. Avaliação de metodologias de interpolação espacial aplicadas a dados hidrográficos costeiros quase-sinóticos. Brazilian Journal of Aquatic Science and Technology, 13(1): 53-64.

Miranda, J.I. 2010. Fundamentos de Sistemas de Informações

Geográficas. 2ª ed. Brasília, Editora Embrapa Informação Tecnológica, 425p.

Moura, L.Z.; Bias, E.S. & Brites, R. 2014. Avaliação da Acurácia Vertical de Modelos Digitiais de Elevação (MDES)

nas bacias do Paranoá e São Bartolomeu. Revista Brasileira de Cartografia, 1(66/1): 1-11.

Orlandi, A.G. 2016. Avaliação da acurácia do modelo SRTM

para o Brasil. Programa de Pós-graduação em Geografia, Universidade de Brasília, Dissertação de Mestrado, 54p.

Pinto, M.S. & Amorim, A. 2011. Ortorretificação de imagem

Quickbird com diferentes modelos digitais de terreno:

análise da qualidade geométrica. Revista Brasileira de

Cartografia, 63: 1-11.

Rabus, B.; Eineder, M.; Roth, A. & Bamler, R. 2003. The shuttle

radar topography mission: a new class of digital elevation models acquired by spaceborne radar. ISPRS:

Journal of Photogrammetry and Remote Sensing,

(4): 241-262.

Santos, A.R.P.; Gaboardi, C. & Oliveira, C.L. 2005. Avaliação

da Precisão Vertical dos Modelos SRTM para a Amazônia. Anais XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Goiânia. p. 4473-4480.

Touting, T. 2004. Geometric processing of Remote Sensing

images: models, algorithms and methods. International Journal of Remote Sensing, 25(10): 1893-1924.

Valeriano, M.D.M. & Rossetti, D.D.F. 2012. Topodata: Brazilian full coverage refinement of SRTM data. Applied

Geography. 32(2): 300-309.




DOI: https://doi.org/10.11137/2020_2_340_348

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SCImago Journal & Country Rank
Associado Diadorim Associado Latindex ROAD ISSN REDIB ISSN Google Acadêmico DRJI DOAJ GeoRef Clarivate

ISSN 0101-9759 e-ISSN 1982-3908