Caracterização Mineralógica e Gemológica das Opalas de Buriti dos Montes – Piauí

Daniela Vasconcelos Machado, Jurgen Schnellrath, Joedy Patricia Cruz Queiroz

Abstract


A opala é um mineral polimorfo de sílica, onde o teor de água pode chegar até 20% em sua composição. Na gemologia, se destaca pela sua variedade de cores e pelo fenômeno de jogo de cores. A estrutura das opalas pode variar desde amorfa (opala -A), baixa cristalinidade (opala -CT) até alta cristalinidade (opala -C). Dada a importância da opala na gemologia e na região de Buriti dos Montes - Piauí, a pesquisa tem o objetivo de contribuir com uma caracterização gemológica e mineralógica das opalas das regiões de Tranqueira e Riacho do Meio. Foram analisadas opalas brancas e opalas laranjas a avermelhadas, também conhecidas como opala de fogo na gemologia. A caracterização de onze amostras foi baseada nas determinações da cor, densidade (d) e índice de refração (IR), análises de Espectroscopia Raman, Fluorescência de Raio-X (FRX) e Difração de Raio-X (DRX), realizada nos laboratórios do Centro de Tecnologia Mineral (CETEM). Através dos resultados obtidos, as opalas de Buriti dos Montes foram classificadas como do tipo -CT (cristobalita-tridimita), de cristalização incipiente não totalmente amorfa. Destaca-se a amostra BM9, que apresentou na espectroscopia Raman picos não definidos e na análise de DRX a presença de caulinita em sua formação. Tais resultados sugerem que a opala encontra-se em estágio inicial de formação associada à caulinita, com características amorfas. A técnica de espectroscopia Raman foi aqui empregada com a finalidade de corroborar com o entendimento sobre o grau de cristalinidade das opalas de fogo, sendo tal técnica não utilizada em trabalhos anteriormente realizados na região.


Keywords


Opala de Fogo; Espectroscopia Raman; Cristobalita-Tridimita

References


Aguiar, R.B & Gomes, J.R.C. 2004. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do

Piauí: diagnóstico do município de Buriti dos Montes.

Fortaleza: CPRM - Serviço Geológico do Brasil, 22p.

Brum, T.M.M; Augustin, A.H.; Juchem, P.L. & Hartmann, L.A.

Opala no Rio Grande do Sul, Brasil. In: SEMINÁRIO SOBRE DESIGN E GEMOLOGIA DE

PEDRAS, GEMAS E JÓIAS DO RIO GRANDE DO

SUL, 1, Soledade, 2009. Resumo expandido, Soledade, UPF.

Caucia, F.; Ghisoli, C. & Adamos, I. 2009. A study on the

characterisrics of some C- and CT opals from Brazil.

Journal of Mineralogy and Geochemistry, 185(3):

-296.

CPRM (Serviço geológico do Brasil). 2014. Avaliação dos Recursos Minerais do Brasil - Opalas de Pedro II e Buriti dos Montes, Estado do Piauí.

D’Azevêdo, R.G.B. & Schnellrath, J. 2014. Espectroscopia raman de baixo custo aplicada à gemologia: otimização

e ampliação do banco de dados. In: JORNADA DE

INICIAÇÃO CIENTÍFICA - CETEM, 22, Rio de Janeiro, 2014. Resumo expandido, Rio de Janeiro, CETEM.

Frohlich, F. 2020. The opal-CT nanostructure. Journal of Non-

-Crystalline Solids, 533.

Graetsch, H. 1994. Structural characteristics of opaline and

microcrystalline silica minerals. In: HEANEY, P.J.;

PREWITT, C.T. & GIBBS, G.V. (eds.). Silica physical

behavior, geochemistry and materials applications.

Reviews in Mineralogy, 29, p. 209 – 232.

Giuliano, W.S. 2015. Caracterização de opala do Rio Grande

do Sul por MET, MEV e DRX. Instituto de Geociências, Departamento de Geologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Monografia (Trabalho de

Conclusão de Curso), 63p.

Góes, A.M.O. & Feijó, F.J. 1994. Bacia do Parnaíba. Boletim de

Geociências da Petrobras, 8(1): 57-68.

Góes A.M.O.; Souza J.M.P. & Teixeira, L.B. 1990. Estágio exploratório e perspectivas petrolíferas da Bacia do Parnaíba. Boletim Técnico da Petrobras, 4(1): 56-64.

Gomes, E.R. 2002. Mineralogia e Gemologia da Opala Laranja

de Buriti dos Montes (Piauí – Brasil). Programa de

Pós-graduação em Geologia e Geoquímica, Universidade Federal do Pará, Dissertação de Mestrado, 89p.

Gomes, E.R. & Costa, M.L. 2007. Opalas do Piauí, Pedro II –

Buriti dos Montes (Parte II). Diamond News, 8: 54-59.

Johnson, M.L. & Koivula, J. 1998. Cat’s-eye opal from Tanzania. Gems & Gemology. Gem News: 138-140.

Jones, J.B. & Segnit, E.R. 1971. The nature of opal I. Nomenclature and constituent phases. Journal of the Geological Society of Australia: An International Geoscience

Journal of the Geological Society of Australia, 18(1): 57-68.

Langer, K. & Florke, O.W. 1974. Near infrared absorption spectra (4.000 - 9.000 cm-1) of opals and the role of “water” in these SiO2.nH2O minerals. Fortschr Miner,

: 17-51.

Lazzarelli, H. N. 2002. Blue Chart - Gem Identification: Natural

/ Treated / Synthetic / Imitation.

Marques, G.T. 2011. Inclusões sólidas em opalas laranja de Buriti dos Montes (Piauí – Brasil): morfologia, mineralogia e composição química. Instituto de Geociências,

Universidade Federal do Pará, Monografia (Trabalho

de Conclusão de Curso), 75p.

Marques, G.T.; Costa, M.L.; & Gomes, E.R. 2012. As fascinantes inclusões sólidas das opalas laranja de Buriti dos

Montes (PI). Diamond News, 37: 45-52.

Marques, G.T. 2014. Opalas gemológicas do Piauí: gênese revelada por microtermometria e minerais associados.

Programa de Pós-graduação em Geologia e Geoquímica, Universidade Federal do Pará, Dissertação de

Mestrado, 84p.

Miceli, R.S. & Schnellhath, J. 2013. Nova metodologia para

distinção entre opalas-c e cristobalita. In: JORNADA

DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INTERNA –

CETEM, 3, Rio de Janeiro, 2013. Resumo expandido,

Rio de Janeiro, CETEM.

Miranda, B.R. & Schnellrath, J. 2016. Desenvolvimento de um

método para análise do teor de ouro em joias empregando a fluorescência de raios-x. In: JORNADA DE

INICIAÇÃO CIENTÍFICA - CETEM, 24, Rio de Janeiro, 2016. Resumo expandido, Rio de Janeiro, CETEM.

Neves, C.A.; Silva, A.B.; Góes, A.M. & Lima, M.P. 1990. Projeto de Exploração, Bacia do Parnaíba. Petrobras

(Relatório Interno), Belém, 24p.

Pimentel, P.C. 2007. Caracterização de opalas-CT coloridas

de qualidade gema. Instituto de Geociências, Departamento de Geologia, Universidade Federal do Rio de

Janeiro, Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso), 45p.

Oliveira, J.C.; Cardoso C.E.T.; Quinho J.S. & Amorim, H.J.

Projeto Opala em Pedro II (Relatório Final).

DNPM/CPRM, Recife.

Oliveira, I.G.; Carneiro, L.S.; Saraiva, C.E.R.; Mattos, I.C. &

Neri, T.F.O. 2020. Caracterização gemológica das

Turmalinas de Quixeramobim. Anuário do Instituto

de Geociências/UFRJ, 43(1): 207-217.

Rosa, D.B. 1988. Les gisements d’opales nobles de la region de

Pedro II, dans l’esat de Piauí (region nord-est du Brésil). Th, Docteur, INPL-ENSG, Nancy, 327p.

Santiago, C.S. 2015. Caracterização mineralógica e gemológica das ocorrências de opala verde, localmente

com efeito olho-de gato, na região de Socotó, Bahia.

Instituto de Geociências, Departamento de Geologia,

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Monografia

(Trabalho de Conclusão de Curso), 79p.

Santiago, C.S.; Miranda, B.R. & Schnellrath, J. 2017. Otimização de um método de fluorescência de raios-X para

análise de ouro em joias. In: SIMPÓSIO NACIONAL

DE OURIVESARIA E DESIGN DE JOIAS, 1, Belo

Horizonte, 2017. Resumo expandido, Belo Horizonte,

p. 173-185.

Sauer J.R. 1982. Brazil, paradise of gemstones. Rio de Janeiro,

Geological Institute of America.

Silva, E.E. 2007. Caracterização Gemológica e Mineralógica

de Opalas Preciosas de Pedro II. Programa de Pós

Graduação em Geologia, Instituto de Geociências da

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Dissertação

de Mestrado, 53p.

Schnellrath, J. 2008. Opalas azuis: umas falsas, outras verdadeiras. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 44, Curitiba, 2008.

Souza, V.C. 1984. Perfil Analítico da Opala. Brasília, DNPM.

Vidal, F.W.H.; Morais, M.G.N.O.; Freire, L.C. & Santos,

C.A.M. 2018. As Opalas de Pedro II no Piauí e o

Arranjo Produtivo Local. Rio de Janeiro, CETEM/

MCTI, 53p




DOI: https://doi.org/10.11137/2020_2_415_425

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexers and Bibliographic DatabasesFollow us
SCImago Journal & Country Rank
ISSN
ROAD
Clarivate
Diadorim
DOAJ
DRJI
GeoRef
Google Scholar
Latindex
REDIB
Oasisbr
Twitter
Instagram
Facebook
All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International Public License (CC BY-NC 4.0).