Geodiversity as part of Heritage Rivers: The Example of São Francisco, River of National Unity - Along the Stretch its River Source to the Casca d’Anta Waterfall

Carmélia Kerolly Ramos de Oliveira, Paulo de Tarso Amorim Castro, Úrsula de Azevedo Ruchkys, Diamantino Manuel Insua Pereira, Michael Vinicius de Sordi

Abstract


Rivers are key parts of geodiversity and have special proximity with society. Hence, river heritage is characterized by uncommon rivers with singular aspects of geodiversity, historical and cultural values, ecological and landscape elements of high scenic quality. In such context, the present study aimed to identify the set of elements or places of interest which could be used to recognize river heritage based on geodiversity values along a 17 km stretch between São Francisco river headwaters and the Casca d’Anta waterfall within Canastra Range National Park (Minas Gerais State - Brazil). Here, seven elements of river heritage were recognized: i) landscape set of
the Canastra Range; ii) São Francisco historic headwater; iii) Curral de Pedras; Casca d’Anta waterfall; v) Nesting area of the Mergus octosetaceus; vi) diamond mining; vii) the Canastra cheese. The identified elements of river heritage highlight the scientific, ecological, cultural, historic and touristic/economic importance of the analyzed. stretch Moreover, such elements illustrate need for improvement of the existing legislations and more effective instruments of river management and river conservation.


Keywords


River heritage; São Francisco River; Canastra Range

Full Text:

PDF

References


Ab’Saber, A.N. 2003. São Paulo: Ensaios e Entreveros. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/ Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 522 p.

Ahri. 2016. American Heritage Rivers Initiative. Available at: . Accessed: October 22, 2016.

Alvarenga, L.J.; Castro, P.T.A.; Bernardo, J.M. & Campos, I.C. 2018. Paisagem cultural e geoconservação: contributos conceituais aplicados na Serra da Canastra, Brasil. Anuário do Instituto de Geociências, 41(2): 241-251.

ALMG. 2001. Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Lei 14007, 4 de outubro de 2001. Declara o Trecho Mineiro Do Rio São Francisco Patrimônio Cultural, Paisagístico e Turístico do Estado e dá outras Providências.

ALMG. 2004. Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Lei 15082, 27 de abril de 2004. Dispõe sobre Rios de Preservação Permanente e dá outras Providências.

Benitez, L. & Chaves, M.L.S.C. 2007. Província diamantífera da Serra da Canastra (Minas Gerais). In: 14° Simpósio de Geologia de Minas Gerais, Diamantina. Livro de Resumos do 14° SGMG, v. 1, p. 138-138.

Benitez, L. 2009. Províncias diamantíferas de Minas Gerais: uma proposta para a caracterização de populações de diamantes típicas como subsídio à Certificação Kimberley [manuscrito]. Tese. Universidade Federal de Minas Gerais. Instituto de Geociências, 223 p.

Brilha, J. 2005. Patrimônio geológico e geoconservação: a conservação da natureza na sua vertente geológica. São Paulo: Palimage editora. 144 p.

Brilha, J. 2018. Geoheritage: inventories and evaluation. In: REYNARD, E. & BRILHA, J. (ORG.). Geoheritage: assessment, protection and management. 1ed.: Elsevier, p. 69-85.

Brilha, J.; Gray, M.; Pereira, D.I. & Pereira, P. 2018. Geodiversity: An integrative review as a contribution to the sustainable management of the whole of nature. Environmental Science & Policy, 86: 19-28.

Carvalho, F.A. 2012. Entre a palavra e o chão: memória toponímica da Estrada Real. Tese (Doutorado em Semiótica e Lingüística Geral) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, doi:10.11606/T.8.2012.tde-14032013- 101812.

Chaves, M.L.S.C.; Brandão, P.R.G.; Girodo, A.C. & Benitez, L. 2008. Kimberlito Canastra-1 (São Roque de Minas, MG): geologia, mineralogia e reservas diamantíferas. Revista da Escola de Minas, 61: 357-364.

Chaves, M.L.S.C.; Benitez, L.; & Andrade, K.W. 2009. Cachoeira da Casca D’Anta, São Roque de Minas, MG - Berço do Velho Chico, o Rio da Integração Nacional. In: WINGE M. ET AL. (Eds.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil, Brasília: CPRM, v. 2. 515 p.

Chrs. 2018. Canadian Heritage Rivers System. About the CHRS. Available at: . Accessed: 18 abr. de 2018.

Couto, M. 2005. Moçambique - 30 Anos de Independência: No Passado, o Futuro era Melhor. Via Atlântica, 8: 191-204.

EMATER. 2004. Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais. Caracterização da Microrregião da Canastra como Produtora de Queijo Minas Artesanal. São Roque de Minas. 20 p. Available at: http://www.emater.mg.gov.br/doc/intranet/upload/QUEIJO_HISTORICO/Caracteriza%C3%A7%C3%A3o%20do%20Queijo%20Canastra.pdf. Accessed: 20 jan, de 2018.

Ferrão, A.M.A & Braga, L.M.M. 2015. Gestão Integrada de Bacias Hidrográficas: paisagem cultural e parques fluviais como instrumentos de desenvolvimento regional. Confins, 23: 1-13.

Grandgirard, V. 1997. Géomorphologie, protection de la nature et gestion du paysage. Thèse de doctorat N.º 1163, Université de Fribourg, Institut de Géographie.

Gray, M. 2004. Geodiversity: valuing and conserving abiotic nature. Londres: John Wiley e Sons Ltd, 448 p.

Gray, M. 2013. Geodiversity - Valuing and Conserving Abiotic Nature. 2º ed. Wiley Blackwell, Chichester, 495 p.

IPHAN. 2008. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Titulação de patrimônio cultural do Brasil ao modo artesanal de fazer queijo de Minas nas regiões do Serro, da Serra da Canastra e Salitre/Alto Paranaíba. 142 p. Available at: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/Dossie_Queijo_de_Minas_web.pdf. Accessed: 20 jan. de 2018.

Liccardo, A. & Mendes, J.C. 2001. Saint-Hilaire nas Nascentes do São Francisco. 1. ed. Ouro Preto - MG: Independente. v. 1. 74 p.

Lins, L.V.; Andrade, R.D.; Ribeiro, F. & Rigueira, S.E. 2011. Distribuição e biologia reprodutiva do pato-mergulhão (Mergus octosetaceus) na região da Serra da Canastra, Minas Gerais. MG. Biota, 4(3): 4-33.

Marrero, N.J.S. 2016. Programa de Ríos Patrimoniales, Ríos de Alto Valor Natural y Ríos Recreacionales. Departamento de Recursos Naturales y Ambientales (DRNA) e División de Protección Ambiental del Caribe de la Agencia federal de Protección Ambiental (EPA). 81 p. Available at: https://data.fs.usda.gov/research/pubs/iitf/iitf_gtr_50_spa_lowres.pdf. Accessed: 02 mar. 2017.

MMA. 2005. Ministério do Meio Ambiente. Plano de manejo: Parque Nacional Serra da Canastra. 104 p. Available at: https://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades coservacao/PM_PNSC_Resumo_Executivo.PDF. Accessed: 12 mai. De 2018.

Nazar, T.I.S.M.; Silva, G.A. & Rodrigues, S.C. 2017. Chapadão do Diamante, Serra da Canastra-MG: um olhar sobre a geodiversidade. In: XVII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, 2017, Campinas/SP. Anais Campinas. v. XVII, 01-12.

Nazar, T.I.S.M. 2018. O Chapadão do Diamante na Serra da Canastra/MG, Brasil: caracterização geomorfológica e análise integrada do meio físico a partir de dados multifontes. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Uberlândia, Programa de Pós-Graduação em Geografia, 270 p.

Oliveira, C.K.R.; Salgado, A.A.R. & Lopes, F.W.A. 2017. Proposta de Classificação de Relevância de Quedas D’Água como Subsídio à Conservação do Patrimônio Natural. Revista Brasileira de Geomorfologia, 18: 465-481.

Ollero, A. 2017. Hidrogeomorfología y geodiversidad: el patrimonio fluvial. Centro de Documentación del Agua y del Medio Ambiente, Ayuntamiento de Zaragoza, 111 p. Available at: http://www.zaragoza.es/contenidos/medioambiente/cda/Ollero17.pdf. Accessed: 13 fev. 2017.

Pereira, P.J.S. 2006. Patrimônio geomorfológico: conceptualização, avaliação e divulgação. Aplicação ao Parque Nacional de Montesinho. Tese. (Doutorado em Ciências – Geologia). Universidade do Minho. Portugal. 395 p.

Rodrigues, A.S.L. & Castro, P.T.A. 2008. Protocolos de avaliação rápida: instrumentos complementares no monitoramento dos recursos hídricos. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, 13(1): 161-170.

Saint-Hilaire, A. 1847. Voyages dans l'interieur du Brésil. Troisième Partie, Voyage aux sources du Rio de S. Francisco et dans la province de Goyaz. Paris: Arthus Bertrand. v 2.

Saint-Hilaire, A. 1975. Viagem as Nascentes do Rio São Francisco. Tradução Regina Regis Junqueira. Belo Horizonte/São Paulo: Ed. Itatiaia/EDUSP.

Schobbenhaus, C. & Silva, C.R. 2012. O papel do Serviço Geológico do Brasil na criação de geoparques e na conservação do patrimônio geológico. In: SCHOBBENHAUS C. AND SILVA CR (Eds.). Geoparques do Brasil: propostas, vol. 1. Rio de Janeiro, CPRM, p.11-28.

Silva, A.C.A.B. 2017. As águas do rio São Francisco: disputas, conflitos e representações do mundo rural. Tese de Doutorado – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. 406 p.

Silva, F. 2016. Biologia Reprodutiva do Pato-mergulhão Mergus octosetaceus na região do Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil. Dissertação de Mestrado em Ecologia (Conservação e Manejo da Vida Silvestre) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Vidal, L. & Gandara, G.S. 2015. Geohistória das cidades e rios (Brasil, Estados Unidos). Paris: (Dossier presentation of São Francisco river Revue Confins Paris). Confins 23: 1- 4.




DOI: https://doi.org/10.11137/1982-3908_2021_44_38723

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexers and Bibliographic DatabasesFollow us
SCImago Journal & Country Rank
ISSN
ROAD
Clarivate
Diadorim
DOAJ
DRJI
GeoRef
Google Scholar
Latindex
REDIB
Oasisbr
Twitter
Instagram
Facebook
All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International Public License (CC BY-NC 4.0).