Determination of Maximum Water Infiltration Areas in Vacacaí-Mirim Basin in Southern Brazil

Pedro Daniel da Cunha Kemerich, Willian Fernando de Borba, Masato Kobiyama, Sérgio Roberto Martins, Galileo Adeli Buriol, Gabriel D’Avila Fernandes, Carlos Eduardo Balestrin Flores, Ericklis Edson Boito de Souza, Cristiane Gomes, Matias Mallmann Rohde

Abstract


A determinação das taxas de infiltração de água no solo é de fundamental importância, pois além de determinar a recarga de aquíferos estima a vulnerabilidade a contaminação a qual o mesmo está sujeito. Com base nisso o presente trabalho tem por objetivo determinar o índice de infiltração de água no solo pelo método DRASTIC na bacia hidrográfica do rio Vacacaí-Mirim, no estado do Rio Grande do Sul. Para a determinação desses índices, seguiu-se a metodologia descrita por Oliveira e Ferreira (2002), onde as análises para os parâmetros físicos foram obtidos no laboratório de física do solo da Universidade Federal de Santa Maria, campus de Frederico Westphalen-RS. Os índices de facilidade a infiltração nos anos de 2010 e 2011 variaram de 10 (áreas pouco fissuradas) a 30 (áreas com altas perfurações). Com relação as áreas de infiltração máxima, no ano de 2010, 24 % da área da bacia apresentou tal condição, já para o ano de 2011, esse percentual caiu para 18,55 %. Com base nisso, a metodologia se mostra interessante para a determinação das taxas de infiltração de água na bacia hidrográfica do rio Vacacaí-Mirim. As áreas que mais se destacaram com as taxas de infiltração máxima localizam-se nas várzeas da bacia hidrográfica, onde predominam o cultivo de arroz, sendo assim é de fundamental importância a preservação de tais áreas com vista a manutenção da qualidade da água subterrânea no local.


Keywords


Infiltração; DRASTIC; Manejo do solo; Usos do solo

Full Text:

PDF

References


Aller, L.; Bennet, T., Lehr, J.H. & Petty, R.J. 1987. Drastic: A Standardized System for Evaluating Groundwater Pollution Potencial Using Hydrogeologic Settings. Environmental Protection Agency, Washington.

Bamberg, A.L.; Silveira, C.A.P., Potes, M.L., Pillon, C.N., Louzada, R.M. & Campos, A.A. 2012. Dinâmica de liberação de nutrientes disponibilizados por diferentes tipos de rochas em colunas de lixiviação. In: XXXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DO SOLO, Uberlândia, 2012. Trabalho completo, Uberlândia, SBCS.

BRASIL. 1973. Levantamento de reconhecimento dos solos do Estado do Rio Grande do Sul. Recife: Ministério da Agricultura.

CPRM. 1994. Mapa hidrogeológico da folha de Santa Maria, SH.22-V-C-IV, escala 1:100.000. Porto Alegre: CPRM/Serviço Geológico do Brasil.

CPRM. 2008. Mapa Geológico do Estado do Rio Grande do Sul, escala de 1:750.000. Porto Alegre: CPRM/Serviço Geológico do Brasil.

Casagrande, L. 2004. Avaliação do Parâmetro de Propagação de Sedimentos do Modelo De Williams (1975) na Bacia do Rio Vacacaí-Mirim com o Auxílio de Técnicas de Geoprocessamento. Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Maria, Dissertação de mestrado, 120p.

David, J.S. 1976. Drenagem de Estradas, Caminhos de Ferro e Aeródromos. Determinação de Caudais de Ponta de Cheia em Pequenas Bacias Hidrográficas. Lisboa: LNEC.

Hentges, S. C. 2009. Geologia da área da bacia hidrográfica do rio Vacacaí - Mirim, RS. Curso de Graduação em Engenharia Ambiental, Centro Universitário Franciscano, Trabalho Final de Graduação, 40p.

Hoffmann, G.R.; Arend, L.M., Silveira, J.C.B. & Bellomo, H. R. 1997. Rio Grande do Sul: Aspectos da Geografia. Porto Alegre: Martins Livreiro.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2013. Mapa Exploratório de Solos Do Estado do Rio Grande do Sul. Disponível em: . Acesso em: 25 de mar. 2018.

Leinz, V. & Amaral, S.E. 1989. Geologia Geral. São Paulo: Editora Nacional.

Lima, W.P. 2008. Hidrologia Florestal Aplicada ao Manejo de Bacias Hidrográficas. Universidade de São Paulo, Piracicaba.

Oliveira, M.M. & Ferreira, J.P.C.L. 2002. Proposta de uma metodologia para a definição de áreas de infiltração máxima. In: VI CONGRESSO DA ÁGUA, Lisboa, 2002. Trabalho completo, Lisboa, APRH.

Melo, M.J.V.; Cabral, J. & Montenegro, S. 2005. As Enchentes de Olinda em Pernambuco e as Estruturas de Controle do Escoamento Urbano. In: VI ENCONTRO NACIONAL DE ÁGUAS URBANAS, Belo Horizonte, 2005. Trabalho completo, Belo Horizonte, ABRH.

Rosa, C.M.; Castilhos, R.M.V., Pauletto, E.A., Pillon, C.N., Leal, O.A. 2011. Conteúdo de carbono orgânico em Planossolo Háplico sob sistemas de manejo do arroz irrigado. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 35: 1769-1776.

Santos, R.M. & Koide, S. 2011. Mapeamento da recarga de águas subterrâneas a partir da regionalização de estimativas pontuais via regressão múltipla espacial. In: XV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, Curitiba, 2011. Trabalho completo, Curitiba, SBSR.

SEPLAN. 1986. Levantamento dos recursos naturais. Rio de Janeiro: IBGE. 150 p.

Silva, J. C. A.; Andrade, A. P. de. & Silva, D. S. Da. 2006. Avaliação da infiltração da água no solo como indicador de modificações edáficas em três sistemas de manejo. Agropecuária Técnica, 27, 85-91.

Simielli, M. E. 2009. Geoatlas. São Paulo: Ática.

Spohr, R.B.; Carlesso, R., Eltz, F.L.F., Broetto, T., Flores, C.H. & Knies, A.E. 2007. Escoamento superficial e infiltração de água no solo sob chuva simulada no Rio Grande do Sul. In: XXXI CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, Gramado, 2007. Trabalho completo, Gramado, SBCS.

Streck, E.V.; Kampf, N., Dalmolin, R.S.D., Klamt, E., Nascimento, P.C. & Shineider, P. 2002. Solos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EMATER/UFRGS.

Zwirtes, A.L.; Spohr, R.B., Baronio, C.A., Rohr, M.R. & Menegol, D.R. 2011. Caracterização físico-hídrica de solos submetidos a diferentes manejos. Pesquisa Aplicada & Agrotecnologia, 4: 51- 66.




DOI: https://doi.org/10.11137/1982-3908_2021_44_39665

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexers and Bibliographic DatabasesFollow us
SCImago Journal & Country Rank
ISSN
ROAD
Clarivate
Diadorim
DOAJ
DRJI
GeoRef
Google Scholar
Latindex
REDIB
Oasisbr
Twitter
Instagram
Facebook
All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International Public License (CC BY-NC 4.0).