SIGNIFICADOS DA PRÁTICA ESPORTIVA EXTRACURRICULAR PARA OS PAIS

Alexandre Jackson Chan Vianna, Felipe Rodrigues da Costa, Américo Pierangeli, Raissa Batista Luaemar Oliveira

Resumo


A ideia central do artigo é levantar os argumentos dos pais para optar e manter os filhos em atividades esportivas extracurriculares. Foi realizada observação participante em escola privada de Educação Básica que oferecia atividade esportiva extracurricular por empresa terceirizada. A entrevista semi-estruturada, com pais de estudantes entre 5 e 10 anos, que frequentavam as atividades de futsal e natação, foi o instrumento central de coleta de dados, analisados de acordo com a Teoria Fundamentada. Os resultados apontam argumentações sobre benefícios para a saúde, educação e gosto dos filhos. Entretanto aparecem também motivos pragmáticos de organização da logística das famílias e a instrumentalização de mecanismos de coerção da vida cotidiana dos filhos. Com base nos dados, o texto ainda reflete sobre a hierarquia presente entre educação física curricular e atividades extracurriculares para os pais.


Palavras-chave


Esporte. Escola. Terceirização. Currículo.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBER, Bonnie L; ECCLES, Jacquelynne S; STONE, Margaret R. Whatever happened to the jock, the brain and the princess? Young adult pathways linked to adolescent activity involvement and social identity. Journal of Adolescent Research, v. 16, n. 5, p. 429-455, 2001.

BECKER, Howard Saul. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1994.

CARBINATTO, Michele Viviene. et al. Motivação e ginástica artística no contexto extracurricular. Conexões: revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, Campinas, v. 8, n. 3, p. 124-145, 2010.

CHARMAZ, Kathy. A construção da teoria fundamentada: guia prático para análise qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREDRICKS, Jennifer A; ECCLES, Jacquelynne S. Developmental benefits of extracurricular involvement: Do peer characteristics mediate the link between activities and youth outcomes? Journal of Youth and Adolescence, v. 34, n. 6, p. 507-520, 2005.

LOVISOLO, Hugo Rodolfo. Normas, utilidades e gosto na aprendizagem. In: VOTRE, Sebastião Josué; COSTA, Vera Lucia de Menezes (Org.). Cultura, atividade corporal e esporte. Rio de Janeiro: Editora Gama Filho, 1995. v. 1, p. 213-232.

MARQUES, Ana Isabel. A educação e o lazer. Millenium On Line. n. 10, abr. 1998. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2016.

NAHAS, Markus Vinicius. Educação física no ensino médio: educação para um estilo de vida ativo no terceiro milênio. In: SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR, 4., 1997, São Paulo. Anais... São Paulo: EEFEUSP, 1997. p. 17-20.

NOLETO, Marlova Jovchelovitch; CASTRO, Mary Garcia; ABRAMOVAY, Miriam. Abrindo espaços: educação e cultura para a paz. 3. ed. Brasília: UNESCO, 2004.

OCAMPO, Gisele Kede Flor. Gestão Empresarial e terceirização da educação física curricular. 2009. 130 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) -- Universidade de Brasília, Brasília.

SANTOS, Suely; DANTAS, Luiz; OLIVEIRA, Jorge Alberto de. Desenvolvimento motor de crianças, de idosos e de pessoas com transtornos de coordenação. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 18, n.1, p. 33-44, ago. 2004.

VOTRE, Sebastião Josué; COSTA, Vera Lucia de Menezes (Org.). Cultura, atividade corporal e esporte. Rio de Janeiro: UGF, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.