Programa Esporte da Escola e a ampliação da educação integral? Avanços, retrocessos e permanências,

Marcelo Paula de Melo, Bruno Adriano Rodrigues Silva

Resumo


Analisamos o programa do governo federal Esporte da Escola. Ele se caracteriza pela oferta do esporte via educação integral em tempo integral em escolas públicas. Utilizamos um referencial sócio histórico para analisar documentos do Banco Mundial, informações contidas na página do programa na internet e artigos sobre os seus fundamentos pedagógicos. Concluímos que este programa não democratiza o acesso ao esporte porque o seu funcionamento está em desacordo com as demandas da escola pública, em função das medidas de ajuste fiscal típicas do ciclo atual do desenvolvimento capitalista brasileiro. 


Palavras-chave


Palavras-chaves: Banco Mundial; Educação Integral em Tempo Integral; Programa Esporte da Escola;

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS DE OLIVEIRA, Sávio de. Reinventando o esporte: possibilidades da prática pedagógica. Campinas: Autores Associados chancela editorial CBCE, 2007.

BANCO MUNDIAL. Jovens em situação de risco no Brasil: Vol.1- Achados relevantes para as políticas públicas. Brasília, Banco Mundial, 2007. Disponível em: http://siteresources.worldbank.org/BRAZILINPOREXTN/Resources/3817166-1185895645304/4044168-1186331278301/20Vol1PortGlos.pdf Acesso em Mar 2015.

. Relatório de Desenvolvimento Mundial 2007. O Desenvolvimento e a próxima geração. Banco Mundial. Nova Iorque, 2007. Disponível em: http://siteresources.worldbank.org/INTWDR2007/Resources/1489782-1158107976655/overview-po.pdf Acesso em Mar 2015.

BRACTH, Walter. Educação física e aprendizagem social. Porto Alegre: Magister, 1992. p. 122.

BRASIL. Gestão intersetorial no território. Brasília-DF: MEC/Secad, 2009a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cader_maiseducacao.pdf Acesso em Mar 2015.

. Rede de saberes Mais Educação: pressupostos para projetos pedagógicos de educação Integral. Brasília-DF: MEC/Secad, 2009b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cad_mais_educacao_2.pdf Acesso Mar 2015.

. INEP. Resumo técnico: Censo escolar2010. Brasília:MEC/Inep,2011. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/resumos-tecnicos Acesso nov. 2014.

. INEP.Resumo técnico: Censo escolar2013. Brasília:MEC/Inep,2014. Disponível em: http: //download.inep.gov.br/ educacao_basica/censo_escolarresumos _tecnicos/resumo_tecnico_censo_educacao_basica_2013.pdfAcesso nov. 2014.

CAVALIERE, Ana Maria Vilela. Escolas de tempo Integral versus alunos em tempo integral. In: MAURÍCIO, Lucia Velloso(org):Em aberto:educação integral em tempo integral. v. 22,n.80,abr. 2009.p. 51-63.

.Políticas especiais no ensino fundamental. In: Políticas Públicas, Movimentos Sociais: desafios à Pós-graduação em Educação em suas múltiplas dimensões. FONTOURA, Helena Amaralda (org.). Rio de Janeiro: ANPEd Nacional, 2011. Disponível em: http://www.fe.ufrj.br/anpedinha2011/livro3.pdf Acesso em jan 2015.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Ideologia e Educação Brasileira: católicos e liberais. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1984. 201 p.

. Sistema nacional de educação: desafio para uma educação igualitária e federativa. Educação e Sociedade, Campinas-SP: vol. 29, n. 105, p. 1187-1209, set./dez. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v29n105/v29n105a12.pdf Acesso em jan 2015.

DELORS, Jacques (org.). Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez; Brasília-DF: MEC: UNESCO, 2002. 287 p.

FAURE, Edgar. Aprender a ser. São Paulo: Difusão Editorial do Livro, 1977. 454 p.

LECLERC, Gesuína. Programa Mais Educação e Práticas de Educação Integral. MOLL, Jaqueline (Org). Caminhos da educação integral no Brasil: direito a outros tempos e espaços educativos. Porto Alegre-RS: Penso, 2012. p. 307-318.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, Editora Pedagógica e Universitária, 1986. 99p.

MARTINS, André Silva. A direita para o social: a educação da sociabilidade no Brasil contemporâneo. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2009. 279p.

MELO, José Pereira de; DIAS, João Carlos Neves de Souza e Nunes. Fundamentos do programa segundo tempo: entrelaçamentos do esporte, do desenvolvimento humano, da cultura e da educação. In: OLIVEIRA, Amauri Aparecido Bássoli de; PERIM, Gianna Lepre (org.). Fundamentos pedagógicos do programa segundo tempo: da reflexão à prática. Maringá-PR: Eduem, 2009. p. 17-47.

MELO, Marcelo. Esporte e dominação burguesa no século XXI: a agenda dos Organismos Internacionais e sua incidência nas políticas de esportes no Brasil de hoje. 2011. 344f. Tese (Doutorado em Serviço Social). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro.

MOLL, Jaqueline. Um paradigma contemporâneo para a educação integral. Pátio Revista Pedagógica. Porto Alegre (RS): p. 12 – 15.Ago / Out 2009.

. A agenda da educação integral: compromissos para sua consolidação como política pública. MOLL, Jaqueline (Org). Caminhos da educação integral no Brasil: direito a outros tempos e espaços educativos. Porto Alegre-RS: Penso, 2012. p. 129-146.

OLIVEIRA, Amauri Aparecido Bássoli de; PERIM, Gianna Lepre. Apresentação. In: OLIVEIRA, Amauri Aparecido Bássoli de; PERIM, Gianna Lepre (org.). Fundamentos pedagógicos do programa segundo tempo: da reflexão à prática. Maringá-PR: Eduem, 2009. p. 07-16.

RIBEIRO, Darcy. O livro dos CIEPs. Rio de Janeiro: Bloch Editores, 1986.

SANTOS, Tiago Luiz Alves dos. Inovações e desafios do programa Bairro Escola de Nova Iguaçu/RJ. 2010. 172f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

SAVIANI, Demerval. Plano de desenvolvimento da educação: analise do projeto do MEC. Educação e sociedade. Campinas – SP: vol. 28, n. 100 – Especial, p. 1231-1255, out. 2007.

SILVA, Bruno Adriano Rodrigues da. Interesses, dilemas e a implementação do programa Mais Educação no município de Maricá (RJ). 2013, 275f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

TEIXEIRA, Anísio. Educação Para a Democracia: Introdução a Administração Educacional. Rio de janeiro: Editora UFRJ, 1997. 263 p.

VAGO, Tarcísio Mauro. O “esporte na escola” e o “esporte da escola”: da negação radical para uma relação de tensão permanente: Um diálogo com Valter Bracht. Movimento, Porto Alegre, ano 3, n. 5, 2 de set. 1996.p. 4-17


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.