ENTRE O “NÃO MAIS” E O “AINDA NÃO” A ARMADILHA DO “TALVEZ, QUEM SABE”: A EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESCOLA NO JOGO DA ECONOMIA DO DISCURSO

Álcio Crisóstomo Magalhães

Resumo


O circuito do capitalismo total transformou a equidade em sinônimo da igualdade possível. Nesse processo, a educação formal foi convertida em indicador de desenvolvimento. Todavia, os eventos produzidos em ato contínuo ao golpe parlamento-midiático  de 2016 indicam a urgência de um novo entendimento. Em meio ao vácuo do “não mais” e o “ainda não” a Educação Física da escola foi deslocada para a esfera do “talvez, quem sabe”. Desenvolver essa tese, por meio do cotejamento de elementos da ação comunicativa, das teorias da contradição capital e trabalho, dos documentos e sistemas teóricos dos organismos multilaterais que advogam a “realidade” do consenso global é o objeto desse trabalho. Conclui-se que o investimento massivo em Educação Física e esporte, contraditoriamente cria uma grande armadilha para a área, mas ao mesmo tempo soa como uma alerta de incêndio.

Palavras-chave


Educação Física, Contrarreforma do Ensino Médio (Lei 13.415), Hegemonia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.