O FAIR PLAY NA ATUALIDADE

João Luiz Rufino, Paulo Henrique Batista, Roberto Gueler, Leonardo Mataruna

Resumo


Durante todo o século XX, a sociedade ocidental e o esporte passaram por inúmeras transformações. Foi na
sociedade aristocrática que surgiu o conceito de “fair playg, difundido pelo Barão Pierre de Coubertin idealizador dos
Jogos Olímpicos da Era Moderna. O “fair play” defendido por Coubertin representa a honra e a lealdade, o respeito
pelos outros e por si próprio. Estes valores refletem o pensamento da aristocracia inglesa do século XIX a respeito das
práticas esportivas. Este estudo propõe uma discussão do conceito de “fair play”, fundamentado nos valores e características
da sociedade pós-moderna. A metodologia utilizada foi a de revisão de literatura onde foram relacionados os
fundamentos do “fair play” e do pós-modernismo, correlacionando ambos para propor uma discussão analítica do
espírito esportivo adaptado ao momento em que vive a sociedade e o esporte. Conclui-se, parcialmente, que a influência
do marketing e da mídia pressionando os atletas por melhores resultados gera na mente de treinadores e esportistas o
pensamento de vitória a qualquer preço, culminando na utilização de meios ilícitos, tais como o doping, a manipulação
genética, processos de naturalização, entre outros, quebrando assim, os princípios do jogo limpo.

Palavras-chave


fair play; esporte; pós-modernidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.