Qualidade de vida de mulheres idosas: comparação entre o nível de atividade física

Giovana Zarpellon Mazo, Jorge Augusto Pinto da Silva Mota, Adilson Sant'Ana Cardoso, Ana Paula Moratelli Prado, Giselli Antunes

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar a influência do nível de atividade física na qualidade de vida de mulheres idosas que participam de programas de atividade física. A amostra foi composta por 27 mulheres idosas com idades entre 65 a 84 anos. O nível de atividade física dos sujeitos foi avaliado por meio do diário de atividade física -- DAF, registrado por 3 dias, 2 durante a semana e um no final de semana. A qualidade de vida foi avaliada por meio do Questionário WHOQOL-100 aplicado em forma de entrevista. Na análise dos dados, para o DAF utilizou-se o cálculo da demanda energética, obtendo-se dois níveis de atividade física: pouco ativas (n=14) e muito ativas (n=13). Para o WHOQOL-100 foram adotadas a freqüência percentual e o Teste-T de Student. Observou-se diferença significativa entre os níveis de atividade física e a percepção de qualidade de vida das idosas nos domínios físico (p=0,01) e nível de independência (p=0,026). Dentre as facetas, componentes dos domínios, foram observadas diferenças significativas para: energia e fadiga (p=0,02), mobilidade (p=0,04), capacidade de trabalho (p=0,01), relações pessoais (p=0,004) e apoio social (p=0,03). Portanto, a atividade física pode ser um atributo contribuinte para a melhoria da qualidade de vida destas idosas.

 Palavras-Chave: Qualidade de Vida. Atividade Física. Idosos


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556.

Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.