PREVALÊNCIA DE DOR LOMBAR E OS DESEQUILÍBRIOS MUSCULARES EM MANICURES

Claudia Tarragô Candotti, Matias Noll, Melissa da Cruz

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar a existência da relação entre dor lombar e os desequilíbrios musculares da cintura pélvica. A amostra foi constituída por trinta indivíduos do gênero feminino que exercem a profissão de manicure. Foram realizados cinco procedimentos de avaliação: teste passivo de comprimento dos músculos isquiotibiais; teste de força dos músculos abdominais; teste de comprimento dos músculos flexores de quadril; teste de força dos músculos extensores lombares e questionário para verificar a dor nas costas. Todos os procedimentos foram previamente validados. Os dados foram submetidos a estatística descritiva, através de tabelas de freqüências e ao teste de qui-quadrado para verificar a associação da dor com os encurtamentos e fraquezas musculares. O nível de significância foi 0,05. Os resultados demonstram que a prevalência da dor lombar foi de 96,7% e que a dor lombar está associada com os encurtamentos musculares, tanto dos isquiotibiais quanto dos flexores do quadril, bem como que a dor lombar também está associada com a fraqueza muscular, dos músculos abdominais, entretanto, não mostrou associação entre a dor lombar e a fraqueza dos músculos extensores lombares. Os resultados sugerem que a postura sentada por longos períodos, aliada ao sedentarismo, pode favorecer a instalação de desequilíbrios musculares na pelve e no tronco, ocasionando dor nas estruturas do sistema músculo-esquelético, refletindo na alta prevalência de lombalgia referida pelas manicures.


Palavras-chave


Dor. Trabalho. Coluna Vertebral.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.