EFEITOS DE DIFERENTES DOSES DE CREATINA ASSOCIADA AO TREINAMENTO DE FORÇA SOBRE PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS

Marcelo Stuart Hunger, Jonato Prestes, Rodrigo Ferro Magosso, Richard Diego Leite, Guilherme Borges Pereira, Cláudia Regina Cavaglieri

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da suplementação de creatina, com e sem saturação, sobre parâmetros hematológicos de indivíduos praticantes de treinamento de força. Foram selecionados 27 homens com idade média de 22,60 À 4,50 anos, massa corporal 72,67 À 11,44 kg, estatura 1,73 À 0,06 m, percentual de gordura 18,86 À 4,36, massa gorda 14,27 À 4,92 kg e massa magra 58,36 À 6,32 kg, divididos randomicamente em três grupos experimentais: Grupo Placebo (GP, n=9); Grupo Creatina com Saturação (GCSat, n=9) e Grupo Creatina (GC, n=9). Os exames hematológicos foram realizados antes e depois do programa de treinamento, bem como após as duas semanas de adaptação. Os seguintes parâmetros foram analisados: contagem de leucócitos totais, neutrófilos, eosinófilos, basófilos, monócitos, linfócitos, hemácias, hematócrito, hemoglobina, volume corpuscular médio, hemoglobina corpuscular média, concentração de hemoglobina corpuscular média e plaquetas. Houve redução significativa de hemácias, hematócrito e hemoglobina no GCSat após o período de suplementação (-4,44%, -4,47% e -5,11%, respectivamente). Para os demais parâmetros avaliados não houve diferença significativa entre os grupos. Estes podem ser os primeiros indícios da existência de uma relação de dose-resposta para a suplementação de creatina.


Palavras-chave


creatina, suplementação, treinamento de força, parâmetros hematológicos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.