TEM QUE CORRER, TEM QUE MALHAR' [1] : Uma Reflexão Sobre O Culto Ao Corpo Na Contemporaneidade

Marta Simões Peres

Resumo


Este ensaio é motivado pela busca compreender porque o corpo se tornou tão importante nas sociedades ocidentais contemporâneas. Dividido em três partes, inicia colocando a questão `o que é o corpo?`, e mergulhando nos primórdios do ocidente, passando pela etnologia dos `diferentes` de nós até a proliferação recente de estudos sobre o tema. Em seguida, descreve um quadro do corpo `hoje`, apresentando sentimentos de insatisfação e `lipofobia` vigentes, e do `ontem`, por meio de uma abordagem histórica de um tipo de cultura corporal hegemônica, baseada no exercício, sem deixar de mencionar outras possibilidades para um corpo prazeiroso e criativo.

 

Abstract

This paper presents a search for understanding why body became such a relevant subject among contemporary western societies. In three sections, it begins putting the question `what is the body?` and travels to the ancient western, the beginning of ethnology until the recent increase of studies about body. It describes what we have called the `today` and the `yesterday` bodies - presenting its correlated feelings of unsatisfaction and lipophobia, a historical approach of a hegemonic body culture based on exercice also pointing out other pleasure and creative practices.

Key-words: body worship, body practices, contemporary times, social sciences


[1]    ‘Estrelar', canção de Marcos e Paulo Sérgio Valle.


Palavras-chave


culto ao corpo, práticas corporais, contemporeidade, ciências sociais

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.