Uso da Cera de Abelhas pelos Índios Pankararé no Raso da Catarina, Bahia, Brasil

Josenilton Alves Sampaio, Marina Siqueira de Castro, Fabiana Oliveira da Silva

Resumo


As Terras Indígenas Pankararé e Brejo do Burgo estão situadas na borda setentrional do Raso da Catarina, NE do Estado da Bahia (9º15’S e 38º 35’/ 38º25’W). O povo Pankararé encontra-se concentrado nas localidades de Brejo do Burgo (40km de Paulo Afonso), Serrota (6km ao sul do Brejo), nas cabeceiras do “canyon” na serra do Chico, áreas inseridas no baixo planalto e em Ponta D’água (4km a Oeste do Brejo do Burgo), no município de Glória. Embora os Pankararé usem a cera das abelhas no seu cotidiano, informações sobre o uso desse recurso por este povo indígena são apresentadas pela primeira vez neste trabalho. Tendo em vista a importância histórica da cera e seus usos diversificados em comunidades indígenas, no presente trabalho foi registrado o uso da cera de abelhas pelo povo Pankararé, com especial referência ao uso doméstico e artesanal. A cera da abelha sem ferrão (Frieseomelitta doederleini Friese, 1900) e da abelha africanizada (Apis mellifera Linnaeus, 1758) é utilizada no artesanato, na confecção de velas, instrumentos musicais, massa de calafetar e cola, constituindo prática cultural do povo Pankararé, tanto para uso artesanal quanto doméstico.


Palavras-chave


Etnoconservação; Saberes indígenas; Índios do nordeste; Recursos naturais

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Arquivos do Museu Nacional

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.