A doutrina da liberdade de Descartes: Diferenças entre os textos francês e latino da Quarta Meditação

Michelle Beyssade

Resumo


É um fato bem conhecido que o texto francês das Méditations Métaphysiques, publicado em 1647, não é uma tradução exata do texto latino das Meditationes de Prima Philosophia, publicado em 1641, pois há entre os dois textos algumas discrepâncias e variações terminológicas. O artigo procura mostrar que há uma importante passagem da Quarta Meditação na qual as discrepâncias entre os dois textos são muito provavelmente o resultado de mudanças introduzidas pelo próprio Descartes, e que estas mudanças, por sua vez, resultariam de uma modificação de seu pensamento acerca da liberdade. A tese central do artigo é que, no intervalo entre as duas publicações, Descartes teria se tornado cada vez mais consciente da importância do poder dos contrários na liberdade e que a divergência entre os dois textos das Meditaçõestestemunharia esta mudança de pensamento.

 

Abstract

It is a well-known fact that the French text of Les Méditations Métaphysiques, published in 1647, is not an exact translation of the LatinMeditationes de Prima Philosophia, published in 1641, since there are some discrepancies and terminological variations between the two texts. This article tries to show that there is an important passage in the Fourth Meditation in which the discrepancies between the two texts are very likely the result of changes or modifications due to Descartes himself, and that these changes result from a modification in his thought concerning the concept of freedom. The central thesis of the article is that, between the two publications, Descartes became more and more aware of the importance of the two-way power in freedom, and that the divergence between the two texts of the Meditations bears witness to his change of mind.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais



ISSN 1414-3004, Qualis A2

Analytica. Revista de Filosofia é indexada pelo Philosopher's Index e pelo GeoDados.