O “Samba Moderno” em evolução: João Paulo dos Santos Gomes e a coluna Música

Eliandro Kienteca

Resumo


O trabalho que é proposto tem como objetivo fazer uma aproximação em direção ao debate sobre música popular na virada entre as décadas de 1950 e 1960, sobretudo, no que se refere ao samba e bossa nova. Nesse sentido, faremos uma análise de João Paulo dos Santos Gomes através de sua coluna Música Popular, publicada no jornal universitário O Metropolitano da União Metropolitana dos Estudantes – UME entre 1959 e 1961, período no qual o autor foi desenvolvendo o conceito de “samba moderno” para fazer referência à bossa nova sem negar as “raízes” do samba

Palavras-chave


Música popular; identidade nacional; modernidade;

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Maria Paula. Memórias Estudantis: da fundação da UNE aos nossos dias. Rio de Janeiro, Relume Dumará, 2007.

CAVALCANTI, Maria Laura V. de Castro & VILHENA, Luís Rodolfo: “Traçando Fronteiras: Florestan Fernandes e a marginalização do Folclore”, in Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 3, n. 5, 1990, p. 75-92.

CÔRTES, Norma. “Ser (é) tempo. Álvaro Vieira Pinto e o espírito de 1956”. O Moderno em Questão: (a década de 1950 no Brasil).

FERNANDES, Florestan. O folclore em questão. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003

GARCIA, Miliandre. Do Arena ao CPC: o debate em torno da arte engajada no Brasil (1959-1964), Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2002.

GOMES, João Paulo dos Santos. “Samba Moderno”. O Metropolitano, 15/11/1959.

_________________________. “Um ano de bossa nova”, O Metropolitano, 02/10/1960.

TOLEDO, Caio. Navarro de (org), Intelectuais e Política no Brasil: a expriência do ISEB, Rio de Janeiro, Revan, 2005.

VILHENA, Luís Rodolfo. (1997), Projeto e missão: O movimento folclórico brasileiro, 1947-1964. Rio de Janeiro, Funarte/Fundação Getúlio Vargas

WASSERMAN, Maria Clara. “Abre a cortina do passado”: A Revista de Música Popular e o pensamento folclorista (Rio de Janeiro:1954-1956), Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2002


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com