DE VIDAS INFAMES E DOENTES: A EXPERIÊNCIA CRIMINAL DE MINERVINA E MARIA THEREZA NO RIO DE JANEIRO DE FINAIS DO SÉCULO XIX

Jailton Alves de Oliveira, Jhoana Gregoria Prada Merchán

Resumo


Este artigo tem como objetivo principal apresentar algumas questões relacionadas à presença feminina no mundo criminal da cidade do Rio de Janeiro no final do século XIX. Para tanto, como objeto, analisamos os casos de Minervina e Maria Thereza. Mulheres livres e pobres que, invariavelmente, eram encaminhadas para alguma prisão da cidade. Outrossim, avaliamos a influência de alguns discursos médicos que, na tentativa de recodificarem os comportamentos femininos, pregaram que as brasileiras oitocentistas eram seres instáveis, propensas aos crimes motivados por paixões excessivas. A nossa hipótese, entretanto, é a de que milhares de mulheres participaram ativamente do mundo criminal sem essas “paixões excessivas”. O estudo e a interpretação desses dois casos, dentre dezenas de outros que estão sendo analisados, nos ajudam a atribuir significado aos fatos históricos e, dessa forma, perceber a realidade das mulheres que caíam na malha fina do poder jurídico-policial no tempo-espaço delimitado.

Palavras-chave


Mulheres; Crime; Medicina;

Texto completo:

PDF

Referências


Fontes

Fundo Casa de Detenção do Rio de Janeiro. Livros de Matrículas de Detentas, 1879.

Processo de Minervina Correa Pinto. Fundo Supremo Tribunal Federal. Processo nº 960 do ano

de 1897.

Processo de Maria Thereza Cesaria, ou Cesalvia. Fundo Supremo Tribunal Federal. Processo

nº1139 do ano de 1897.

Livros

ALMEIDA, Rosemary de Oliveira. Mulheres que matam. Universo imaginário do crime

feminino.Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

BEVILÁGUA, Clóvis. Criminologia e Direito. Bahia: Livraria Magalhães, 1896.

CALEIRO, Regina Célia Lima. História e Crime. Quando a mulher é a ré – Franca, 1890-1940.

Montes Claros: Ed. Unimontes, 2002.

CAULFIELD, Sueann. Em defesa da honra. Moralidade, modernidade e nação no Rio de Janeiro

(1918-1940).Tradução Elizabeth de Avelar Solano Martins. Campinas: UNICAMP, Centro de

pesquisa em Histórica Social da Cultura, 2000.

CÔRREA, Mariza. Morte em Família. Representações jurídicas de papéis sexuais. Rio de

Janeiro: Edições Graal, 1983.

DARMON, Pierre. Médicos e assassinos na Belle Époque. A medicalização do crime. Rio de

Janeiro: Paz e Terra, 1991.

GUARDIA, Sara Beatriz. Historia de las mujeres em América Latina. Perú, CEMHAL, 2013

Revista Ars Historica, ISSN 2178-244X, nº12, Jan/Jun 2016, p. 104-122 | www.ars.historia.ufrj.br 121

HAHNER, June E. Emancipação do sexo feminino. A luta pelos direitos da mulher no Brasil,

-1940. Florianópolis: Ed. Mulheres, 2003.

HILB, Claudia. Usos Del passado. Qué hacemos hoy com lós setennta. Siglo veintiuno, editores,

LEITE, Míriam Moreira (Org). A condição feminina no Rio de Janeiro do século XIX.

Antologias de textos de viajantes estrangeiros. São Paulo: HUCITEC, 1984.

LOMBROSO,Cesare; FERRERO, Guglielmo. Criminal Woman, the Prostitute, and the Normal

Woman.Duke University Press, 2004.

OLIVEIRA, Jailton Alves de. Escolas de todas as perdições e degenerescências. Casa de

Detenção da Corte e Penitenciária Nacional de Buenos Aires como espaços educativos (1856-

. Rio de Janeiro: Multifoco, 2014.

PEIXOTO, Afrânio. Criminologia. 3ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional, 1931.

RAGO, Margareth. Os prazeres da noite: prostituição e códigos da sexualidade feminina em

São Paulo, 1890/1930. 2ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

RINALDI, Alessandra de Andrade. A sexualização do crime no Brasil. Um estudo sobre a

criminalidade feminina no contexto das relações amorosas 1890-1940. Rio de Janeiro: Mauad

X FAPERJ, 2015.

RIO, João do. A alma encantadora das ruas. Crônicas. Raúl Antelo (Org.). São Paulo:

Companhia das Letras, 2008.

ROHDEN, Fabíola. Uma ciência da diferença: sexo e gênero na medicina da mulher. Rio de

Janeiro: FIOCRUZ. 2001

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no

Brasil, 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SOIHET, Raquel. Condição feminina e formas de violência. Mulheres pobres e ordem urbana,

-1920. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989.

Capítulo

ANDREO, Juan. Historia de las mujeres en América Latina: perspectivas y necessidades. In.

Sara Beatriz; ANDREO, Sandro (Org). Historia de las Mujeres em América Latina. Perú,

CEMHAL, 2013

Artigos

FARIA, Thaís Dumêt. A mulher e a criminologia: relações e paralelos entre história da

criminologia e a história da mulher no Brasil. Anais do XIX Encontro Nacional do CONPEDI,

Fortaleza, junho de 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 jul

Revista Ars Historica, ISSN 2178-244X, nº12, Jan/Jun 2016, p. 104-122 | www.ars.historia.ufrj.br 122

FONSECA, Claudia. Ser mulher, mãe e pobre. In. DEL PRIORE. Mary (Org.). História das

Mulheres no Brasil. 5ª ed. São Paulo: Contexto, 2001.

Teses

COELHO, Francisco Jacinto da Silva. A Mulher. Tese apresentada na Faculdade de Medicina

da Bahia. Bahia. Typographia do Correio Mercantil de Reis Lessa e Companhia, 1845.

COSTA, Thomas Jose Xavier dos Passos Pacheco e. Os cuidados que devem prestar aos recémnascidos

quando vem no estado de saúde e sobre as vantagens do aleitamento maternal.Tese

apresentada na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1840.

PAX, Arthur Fernandes Campos. A utilidade do casamento sob o ponto de vista hygienico.Tese

apresentada na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1909.

ROZA, Luiz Francisco da Gama. Dos casamentos sob o ponto de vista hygienico. Tese

apresentada na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro,1876.

SANTOS, Junior Miguel Couto. Hysteria; secção de sciencias acessórias, Dos alienados

perante o direito criminal; Secção e sciencias cirúrgicas, Loucura puerperal; Secção de

sciencias medicas, Das indicações e contraindicações da hydroteriapia no tratamento das

moléstias do systema nervoso. Tese apresentada na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro, 1878.

VIANNA, Antônio da Fonseca. Considerações hygienicas e medico-legaes sobre o casamento

relativamente a mulher. Tese apresentada na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Rio de

Janeiro,1842.

VIANNA, Antônio Salustiano do Nascimento. Breves considerações acerca da medicina legal,

aplicada ao casamento.Tese apresentada na Faculdade de Medicina da Bahia. Bahia, 1851.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com