TAXI DRIVER DE MARTIN SCORSESE

Tiago Gomes da Silva

Resumo


O presente artigo busca realizar um estudo sobre o filme Taxi Driver, lançado em 1976 e dirigido pelo cineasta Martin Scorsese. Procuramos entender a relação da obra cinematográfica com a conjuntura histórica do período, tanto a dos Estados Unidos, como também a de Hollywood. Com essa finalidade, discorreremos sobre o contexto da indústria cinematográfica norte-americana na época de produção do longa-metragem, atentando para as características da Nova Hollywood (1967-1980). Em seguida, trabalharemos como a película dialoga com o ambiente sociopolítico do país marcado, entre outras questões, pela Guerra do Vietnã, criminalidade urbana e ceticismo em relação à política após o escândalo de Watergate. Defendemos que Travis Bickle, protagonista da história, personifica muitos dos traumas e anseios enfrentados pela sociedade norte-americana da época.

Palavras-chave


Taxi Driver; Martin Scorsese; Nova Hollywood;

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, José D´Assunção. Cinema e história: entre expressões e representações. In:

Cinema-História: teoria e representações sociais no cinema. NÓVOA, Jorge &

BARROS, José D´Assunção. Rio de Janeiro: Apicuri, 2008.

GRIST, Leighton. The films of Martin Scorsese, 1963-77: Authorship and context. New York: Palgrave

Macmillam, 2000, p. 156.

Taxi Driver, Blu-Ray, Extras: comentários do diretor.

Revista Ars Historica, ISSN 2178-244X, nº12, Jan/Jun 2016, p. 188-208 | www.ars.historia.ufrj.br 208

FLATLEY, Guy. Martin Scorsese´s Gamble. In: BRUNETTE, Peter (ed.). Martin Scorsese

Interviews. Jackson: University Press of Mississipi, 1999, pp.48-58.

GRIST, Leighton.The films of Martin Scorsese, 1963-77: Authorship and context. New York:

Palgrave Macmillam, 2000.

KING, Geoff. New Hollywood Cinema: An Introduction. London/ New York: I.B. Tauris

Publishers, 2002.

KOLKER, Robert Phillip. A cinema of loneliness: Penn, Kubrick, Scorsese, Spielberg,

Altman. Oxford University Press: New York, 1988

LANGFORD, Barry. Post-Classical Hollywood: Film Industry, Style and Ideolagy Since

Edinburgh: Edinburgh University Press, 2010.

NAPOLITANO, Marcos. Fontes Audiovisuais: A História Depois do Papel. In: PINSKY,

Carla Bassanezi (org.). Fontes Históricas: São Paulo. Contexto, 2005.

RAY, Robert B. A Certain Tendency of the Hollywood Cinema, 1930-1980.New Jersey:

Princeton University Press, 1985.

SANTIAGO JÚNIOR, Francisco das Chagas Fernandes. Cinema e historiografia: trajetória de

um objeto historiográfico (1971-2010). História da Historiografia, v. 8, p. 151-177,

SCHATZ, Thomas. The Studio System and Conglomerate Hollywood. In: MCDONAL, Paul

& WASKO, Janet. Malden. The Contemporany Hollywood Film Industry, MA:

Blackwell Publishing, 2008.

SCHICKEL, Richard. Conversas com Scorsese.São Paulo: Cosac Naify, 2011.

SKLAR, Robert. História Social do Cinema Americano. São Paulo: Cultrix, 1978.

THOMPSON, David e CHRISTIE, Ian. Scorsese por Scorsese. Lisboa: Edições 70, 1989.

TOMASULO, Frank. P..1976: Movies and Cultural Contradictions. In: FRIEDMAN, Lester

D (ed.). American Cinema of the 1970s: themes and variations. New Brunswick/ New

Jersey: Rutgers University Press, 2007, pp.156-181.

VALIM, Alexandre Busko. História e Cinema. In: CARDOSO, Ciro Flamarion, VAINFAS,

Ronaldo (Orgs.), Novos domínios da história. Rio de Janeiro, Elsevier: 2012, p. 283-


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com