UM PANORAMA DA LEGISLAÇÃO EM FAVOR DOS RECÉM-NASCIDOS ABANDONADOS NO IMPÉRIO PORTUGUÊS AO LONGO DA ÉPOCA MODERNA

Cayo De-Annys Mariano Teixeira

Resumo


Buscaremos, neste presente artigo, levantar um breve panorama da legislação que orientou o fenômeno do abandono de recém-nascidos no Império português durante a época Moderna, mostrando que esse fenômeno por mais que estivesse presente desde a Antiguidade, foi somente a partir do século XV que as Ordenações Manuelinas criaram as primeiras leis que estabeleceram critérios para o acolhimento e o financiamento dos expostos, ao responsabilizarem legalmente as Câmaras pelo financiamento da criação deles até os sete anos. Ao longo de três séculos a dinâmica do abandono permaneceu sem grandes mudanças, e somente em meados do século XVIII perceberemos mudanças significativas nas leis de assistências aos enjeitados.

Palavras-chave


Enjeitado; abandono; legislação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com