“Memórias de Lucia”: as brincadeiras nos livros escolares do Maranhão na Primeira República

Rosyane de Moraes Martins Dutra

Resumo


A investigação de cultura lúdica em produções literárias de intelectuais do período republicano brasileiro no Maranhão proposta neste artigo considerou levantar dados históricos sobre as brincadeiras que se manifestavam e como a instrução pública foi importante para a sistematização de uma pedagogia moderna. Objetivou-se analisar os registros literários de Rosa Castro (1933) e Eydher Pestana (1924) enquanto intelectuais propagadores do ideário moderno para a educação das crianças, tendo sido identificados os indícios de uma prática brincante no interior das escolas e dos jardins de infância. O método histórico utilizado foi o de análise documental de fontes literárias. Os estudos de Carvalho (2003) e Silva (2017) contribuíram com as análises sobre a escola republicana, o brincar na história da educação e o estado do Maranhão na transição do modelo educacional. Com os resultados, pretende-se contribuir com as pesquisas sobre história das crianças maranhenses e de suas brincadeiras enquanto um campo em processo de constituição.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.54948/desidades.v0i32.46287

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902