"Cazuza", de Viriato Corrêa: um "bildungsroman" genuinamente brasileiro

Juliana Pinto de Oliveira Causin Alves

Resumo


Este artigo se propõe a analisar o conceito de Bildungsroman brasileiro e estabelecer uma relação com a obra em análise, Cazuza, de Viriato Corrêa. O corpus em pauta menciona temas atuais e reais, tomando a realidade como alicerce para a forma ficcional em que o autor discorre sobre a trajetória educacional do personagem protagonista durante um regime populista em que o papel da educação era imprescindível na formação do cidadão. Ao deixar registrado o envolvimento do personagem que dá nome à obra com o papel do professor na literatura brasileira e com o movimento educacional nutrido pelos ideais do Estado Novo, Corrêa faz uma releitura em tom memorialístico do cenário político do Brasil quando a realidade alimenta a ficção. A idiossincrasia autoral nutre o enredo romanesco, atribuindo à obra o caráter de ficção que oportuniza a leitura hedônica e, ao mesmo tempo, rememora a consciência histórico-educacional no sistema político brasileiro dos anos trinta.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.