Por entres as ruínas da pátria: Ernesto Sábato e Osvaldo Soriano pensam a Argentina

Raphaella Lira

Resumo


Na obra de Ernésto Sábato, poderemos encontrar algumas das características que nos permitirão incluir Sobre heróis e tumbas no panteão do novo romance histórico latino-americano. A distorção consciente da história mediante exageros, omissões ou anacronismos, a intertextualidade e a ficcionalização de personagens históricos são as marcas mais nítidas do novo romance histórico no livro de Sábato. O que se visava colocar em evidência, no entanto, era a maneira como um determinado momento histórico-social poderia servir como pano de fundo para uma narrativa que refletia, incessantemente, como aqui verificaremos, sobre os caminhos que levaram a Argentina a se tornar a pátria que é. Curiosamente, o livro de Osvaldo Soriano que também servirá como corpus para o ensaio que aqui se pretende desenvolver, caminhará numa direção distinta. Ambientado no sul, local mítico e temática recorrente na literatura argentina, a obra tem como foco a realidade de uma pátria enfraquecida pela crise e pelas modificações impostas à América Latina pelo capitalismo neoliberal que se encontrava no eixo da economia mundial.

Texto completo:

PDF

Referências


ACHÚGAR, Hugo. Planetas sem boca: escritos efêmeros sobre Arte, Cultura e Literatura. Tradução de Lyslei Nascimento. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994.

HOBSBAWM, Eric. A era dos extremos. Tradução de Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

MENTON, Seymour. La nueva novela historica de la América Latina. México: FCE, 1991.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alain François [et. al.]. São Paulo: Editora da Unicamp, 2007.

SÁBATO, Ernésto. Sobre heróis e tumbas. Tradução de Janer Cristaldo. Rio de janeiro: Francisco Alves, 1980.

SORIANO, Osvaldo. Uma sombra logo serás. Tradução de Eric Nepomuceno. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1993.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.