Terral e Aracati: o lugar do sertão emGaliléiade Ronaldo Correia de Brito

Luciana Barboza

Resumo


A interpenetração de espaços que antes aparentemente eram impossíveis de se imaginar até mesmo vizinhos, como o entrelaçamento do universo vinculado por meio da televisão, Internet e a rede mundial de computadores dentro de uma conformidade considerada por muitos como isolada, chamada sertão nordestino, não é um fato frívolo, passivo de se desenrolar sem conseqüências imediatas e em longo prazo. No romance Galiléia, de Ronaldo Correia de Brito,encontramos a sobreposição de múltiplos espaços dentro de um único quadro, que muito diferente de uma fixação certa, ele ostenta uma instabilidade, numa indeterminação de fronteiras.

Texto completo:

PDF

Referências


BRITO, Ronaldo Correia de. Galiléia. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 2008.

BENJAMIN, Walter. Rua de Mão Única. Trad. Rubens Rodrigues Torres Filho e José Carlos Martins Barbosa. São Paulo: Brasiliense, 2009.

CANDIDO, Antonio. “Literatura e Cultura de 1900 a 1945” In.:Literatura e Sociedade: Estudos de Teoria e História Literária. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2010.

FERNANDES, Florestan. Mudanças Sociais no Brasil. São Paulo/Rio de Janeiro: Ed. Difel, 1979.

HOLANDA, Sergio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: companhia das Letras, 1995.

MARX, Karl. “Cap. I. Mercadoria”. In.:O Capital: crítica da economia política: livro I.trad. Reginaldo Sant'Anna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

MELO NETO, João Cabral. “Corrente de Ar” In.: João Cabral de Melo Neto: poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008.

_______________________. “Ao novo Recife” In.: João Cabral de Melo Neto: poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O olho e o espírito. Trad. Luís Manuel Bernardo. Editora Veja, 2002.

RAMOS, Graciliano. Vidas Secas. Rio de Janeiro/São Paulo: Ed. Record, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.