A poeira da história - Uma leitura de Noturno do Chile de Roberto Bolaño

Elaine Zeranze Bruno

Resumo


O presente trabalho visa analisar um de seus romances mais conhecidos, Noturno do Chile, que a priori deveria se chamar, como Bolaño desejava, Tormenta de merda, como na última frase do romance:“E depois desencadeia a tormenta de merda”. Noturno do Chile trata de forma alegórica a História do Chile, sobretudo o período que vai da eleição e a vitória de Salvador Allende até o momento mais sombrio pelo qual o país passou, durante a ditadura de Pinochet, após o sangrento 11 de setembro. Ao longo do livro Bolaño apresenta ao leitor alegorias da violência. De modo muito preciso e cifrado, o romance de Bolaño dá forma a um sentido crítico e forte da História. Sentido histórico que faz parte de uma longa derrota. Segundo Hobsbawn, “o mundo que se esfacelou no fim da década de 1980 foi o mundo formado pelo impacto da Revolução Russa de 1917”. (HOBSBAWM, 1995, p.14).

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BÍBLIA SAGRADA, Nova Edição Papal, Traduzidas das línguas originais com uso critico de todas as fontes Antigas pelos Missionários Capuchinhos, Editora Stampley.

BOLÃNO, Roberto. Noturno do Chile. SP, Cia das Letras, trad. Rodrigo Brandão, 2004.

____ (2). Amuleto. SP, Cia das Letras, trad. Eduardo Brandão, 2004.

CHAUÍ, Marilena. Espinosa: uma filosofia da liberdade. São Paulo: Moderna , 2001.

____. “Poder e liberdade: a Política em Espinosa”. Em Cadernos de Ética e Filosofia política, São Paulo: USP, Departamento de Filosofia, n.4, 2002.

SPINOZA, B. de. Ética. Trad. de Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

____. Tratado político. São Paulo: Martins Fontes , 2010.

GALEANO, Eduardo. As Veias abertas da América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. Companhia das Letras, São Paulo 2010.

LÖWY, Michael. Aviso de Incêndio: Uma leitura das teses “Sobre o conceito de história”. São Paulo: Boitempo, 2005.

MATTOSO, José; Abade, in "Enciclopédia Verbo Luso-Brasileira da Cultura, Edição Século XXI", Volume I, Editorial Verbo, Braga, Janeiro de 1998

MUCCI, Latuf Isaías. Ruína e simulacro decadentista. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1994.

PAES, José Paulo. “Huysmans ou a nevrose do novo”. In.: HUYSMANS, J. K. (Op. cit.).

____. Prefácio. In: HUYSMMANS, J.K. Às Avessas. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

PAGLIA, Camille. Personas sexuais. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SILVA, Márcio Fernandes da. Educar para a submissão: o caso Opus Dei; Orientação: Luis Jean Lauand. São Paulo: USP, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.