Paisagem de Brasília e deriva narrativa: uma aproximação metafísica nas artes visuais

Pedro de Andrade Alvim

Resumo


Abordamos a paisagem de Brasília e seus arredores como base de narratividade visual na produção de alguns artistas (José Guilherme Brenner, Andréa Campos de Sá, Azul e Rubens Mano), a partir do fim da década de 1980. Tal produção responde à necessidade de se apropriar da complexidade do real e concomitantemente estabelece um espaço de fabulação no campo visual, onde entram em conexão referências da história da arte, da literatura, da indústria cultural e da cultura popular. Inclui também um componente de interrogação sobre os processos de representação, que diz respeito ao trânsito entre observação e imaginação, memória e manipulação, interior e exterior, retomando elementos da Scuola Metafisica surgida na Itália durante as primeiras décadas do século XX.

Palavras-chave


Brasília; Paisagem; Narratividade; Arte metafísica.

Texto completo:

PDF

Referências


DE CHIRICO, Giorgio, Mémoires. Paris: Table Ronde, 1965.

FAGIOLO DELL’ARCO, Maurizio; BALDACCI, Paolo & PIETROMARCHI, Fabrizia Lanza. The Dioscuri Giorgio de Chirico and Alberto Savinio in Paris 1924-1925, Milão: Mondatori Editore/Edizioni Daverio, 1987.

KUBIN, Alfred. Le travail du dessinateur. Paris: Allia, 2001.

MATTAR, Denise (org.). Brasília síntese das artes. Brasília: CCBB, 2010.

OSÓRIO NETO, Karla (org.). Aos ventos que virão... Brasília: ARP, 2010.

VIVARELLI, Pia. Alberto Savinio – Paintings and Drawings 1925 – 1952. Milão: Electa, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 interFACES