Da terra ao corpo: lutas e conquistas de gênero

Marcela Boni Evangelista, Suzana Lopes Salgado Ribeiro

Resumo


O presente artigo tem como objetivo discutir a atuação de mulheres em diferentes movimentos sociais contemporâneos no Brasil. A partir de estudos baseados em pressupostos teóricos e metodológicos da história oral buscou-se apresentar diferentes experiências de mulheres militantes no âmbito do MST e dos movimentos de mulheres, com ênfase para os feminismos e organizações de mães de jovens infratores. Por meio de suas narrativas, procurou-se problematizar o estatuto de reprodutoras das mulheres tanto na luta pela terra quanto na luta pelo direito ao corpo.


Palavras-chave


História oral; Gênero; História das Mulheres; Aborto; Maternidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALAMBERT, Zuleika. Feminismo -- O ponto de vista marxista. São Paulo: Nobel, 1986.

ALBERTI, Verena. Manual de História Oral. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

ALBERTI, Verena. Ouvir contar -- Textos em História Oral. Rio de Janeiro, FGV, 2004.

ALVES, José Eustáquio Diniz. CAVENAGHI, Suzana Marta. CARVALHO, Angelita Alves de. SOARES, Maria Covre Sussai. Meio século de feminismo e o empoderamento das mulheres no contexto das transformações sociodemográficas do Brasil. In: BLAY, Eva Alterman. AVELAR, Lúcia (Orgs). 50 Anos de Feminismo. Argentina, Brasil e Chile. São Paulo: Edusp, 2017.

BLAY, Eva Alterman. Como as mulheres se construíram como agentes políticas e democráticas: o caso brasileiro. In: BLAY, Eva Alterman. AVELAR, Lúcia (Orgs). 50 Anos de Feminismo. Argentina, Brasil e Chile. São Paulo: Edusp, 2017.

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. História oral: memória, tempo, identidades. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1984 (9ª edição).

EVANGELISTA, Marcela Boni. Padecer no paraíso? Experiências de mães de jovens em conflito com a lei. Salvador: Editora Pontocom, 2015.

EVANGELISTA, Marcela Boni Evangelista. Dilemas da (sobre)vida: o aborto. São Paulo: Tese de Doutorado, FFLCH-USP, 2017.

FERNANDES, Bernardo Mançano. A formação do MST no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2000.

FERREIRA, Marieta Moraes. Oralidade e memória em projetos testemunhais. In: LOPES, A.H., VELLOSO, M. P., PESAVENTO, S. J. (orgs.) História e linguagens: texto, imagem, oralidade e representações. Rio de Janeiro, Edições Casa de Rui Barbosa e 7 Letras, 2006.

GALEOTTI, Giulia. História do Ab()rto. Coimbra: Edições 70, 2007.

HALL, Stuart, at alli. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2004.

________. A identidade cultural na pós modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2008.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de História Oral. 5ª Edição. São Paulo: Loyola, 2005.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. HOLANDA, Fabíola. História oral: como fazer, como pensar. 2010, p. 15

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. RIBEIRO, Suzana Lopes Salgado. Guia Prático de História Oral. 2011

MITCHELL, Juliet. Mulheres: a revolução mais longa. Revista de Gênero. Niterói, v.6, n.2 -- v.7, n.1, p. 203-232, 1-2 sem, 2006.

PERROT, Michelle. Mulheres públicas. São Paulo: Editora da Unesp, 1998.

RIBEIRO, Suzana Lopes Salgado. Processos de mudança no MST: história de uma família cooperada. São Paulo: Dissertação de Mestrado, FFLCH-USP, 2002.

RIBEIRO, Suzana Lopes Salgado. Tramas e Traumas: identidades em marcha. São Paulo: Tese de Doutorado, FFLCH-USP, 2007.

YOW, V. R. Recording Oral History: a guide for the humanities and social sciences. Walnut Creek, CA: AltaMira Press, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 METAXY: Revista Brasileira de Cultura e Políticas em Direitos Humanos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

METAXY é uma Revista do Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas em Direitos Humanos do NEPP-DH/UFRJ. ISSN 2526-5229.