A EXECUÇÃO DA DESPESA PÚBLICA DA UNEB APÓS A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA FIPLAN: ÊNFASE NA ADEQUAÇÃO ÀS NBCASP E À LEGISLAÇÃO VIGENTE

Vilma Ferreira Chaves, Daniel de Jesus Pereira, Tânia Ferreira dos Santos Bomfim

Resumo


Este trabalho tem como objetivo principal investigar o grau de transparência e a eficácia dos gastos públicos após a implantação do Fiplan (Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças do Estado da Bahia), com ênfase na adequação às novas Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NBCASP) e à legislação vigente. Para isto, foi necessário fazer um estudo de caso na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), tendo como base os 29 departamentos desta Instituição, enquanto Unidades Gestoras de Recursos Públicos. Os dados coletados foram fornecidos pelos Coordenadores Financeiros destas unidades, através de questionário eletrônico encaminhado via e-mail. Trata-se de uma pesquisa exploratória com abordagem qualitativa. Na fundamentação teórica, o trabalho enfoca o conceito de Estado e Administração Pública; a Despesa e seus Estágios; Responsabilidade e Transparência na gestão dos recursos públicos; e a implantação do Fiplan. Após o referencial teórico, são apresentados os dados que foram coletados com o objetivo de verificar como o Fiplan contribuiu para a eficácia e transparência da gestão orçamentária e financeira da Uneb. Com o suporte de quadros, gráficos e tabelas, foram feitas as considerações e discussão dos dados. Os dados apresentados na pesquisa demonstraram que o sistema Fiplan contribuiu para eficácia e responsabilidade fiscal dos gastos públicos, possibilitando uma melhor execução orçamentária e adequada prestação de contas.


Palavras-chave


Transparência; Eficácia; Fiplan; Uneb; Unidades Gestoras

Texto completo:

PDF

Referências


BAHIA. Secretaria da Fazenda. Demonstrações contábeis consolidadas do Estado: Exercício de 2013. Salvador: Secretaria da Fazenda do Estado, 2014. Disponível em: Acesso em: 19 maio 2014.

_______. Secretaria da Fazenda. Manual de Execução para o FIPLAN: Versão 1.0 ‒ Janeiro/2013. Disponível em:. Acesso em: 10 ago. 2014.

BEUREN, M. I. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em Contabilidade: teoria e prática. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

BRASIL. Decreto nº 7.185, de 27 de maio de 2010. Dispõe sobre o padrão mínimo de qualidade do sistema integrado de administração financeira e controle, no âmbito de cada ente da Federação, nos termos do art. 48, parágrafo único, inciso III, da Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2014.

_______. Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964. Estatui Normas Gerais de Direito Financeiro para elaboração e controle dos orçamentos da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2014.

_______. Lei nº 12. 527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei nº 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2014.

_______. Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2014.

_______. Lei Complementar nº 131, de 27 de maio de 2009. Acrescenta dispositivos à Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000, que estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências, a fim de determinar a disponibilização, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2014.

IPEA. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Planejamento e Gestão governamental na Esfera Estadual: uma análise comparativa dos processos, conteúdos e sistemas de acompanhamento dos PPAs - Estado da Bahia.Plano Plurianual 2012-2015. Disponível em: . Acesso em: 05 maio de 2017.

KOHAMA, H. Contabilidade Pública: teoria e prática. 13. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de Metodologia Científica. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MEIRELLES, H. L. Direito Administrativo Brasileiro. 30. ed. São Paulo. Malheiros. 2005.

SILVA, L. M. da. Contabilidade Governamental: enfoque administrativo da nova contabilidade pública. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

SILVA, M. M. da. Curso de Auditoria Governamental: de acordo com as Normas Internacionais de Auditoria Pública aprovadas pela INTOSAI. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

SILVA, V. L. A Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA. A Universidade. Disponível em: . Acesso em: 06 jul. 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Práticas em Gestão Pública Universitária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E DIRETÓRIOS

Google Acadêmico | sumários.org  | LivRe! | Diadorim | Latindex | DOAJ