CONTRIBUIÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS SOBRE A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO CONTEXTO DO SISTEMA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DA BAHIA

Antônio Macêdo Mota Júnior, Sergio Henrique Conceição

Resumo


Este trabalho destaca resultados preliminares de um estudo exploratório-descritivo, bibliográfico e documental, que aborda o tema da Gestão Universitária no contexto do Sistema de Educação Superior do Estado da Bahia, com o objetivo de apresentar contribuições teórico-metodológicas para uma sistematização possível desse campo científico, no âmbito de atuação institucional das Universidades Estaduais da Bahia (UEBA). Desta forma, este estudo contextualiza a formação desse Sistema Estadual, bem como caracteriza aspectos do caráter complexo das universidades e do campo científico da Gestão Universitária na Contemporaneidade. Os resultados apontam para uma sistematização teórica possível que destaca quatro dimensões da Gestão Universitária, adaptadas da Gestão Educacional com base em Sander (1995, 2007) e Barroso (1996, 2005): a dimensão econômica, contemplando a dinâmica do financiamento dessas instituições; a dimensão política, referindo-se à oferta das atividades universitárias; a dimensão pedagógica, que diz respeito à produção do conhecimento; e a dimensão cultural/organizacional, que se relaciona aos aspectos da autonomia universitária.

Palavras-chave


Gestão Educacional; Gestão Universitária; Universidades; Universidades Estaduais da Bahia; Sistema Estadual de Educação Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


BAHIA. [Constituição (1989)]. Constituição do Estado da Bahia. Atualizada até a Emenda nº 24 de 5 de abril de 2017. Salvador: Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, 2017.

BAHIA. Lei nº 1.802 de 25 de outubro de 1962. Cria as Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras de Feira de Santana, Ilhéus, Jequié, Caetité, Vitória da Conquista e Juazeiro e dá outras providências. Salvador: Casa Civil do Estado da Bahia, [2018]. Disponível em: http://www.legislabahia.ba.gov.br/index.php/documentos/lei-no-1802-de-25-de-outubro-de-1962. Acesso em: 16 jul. 2019.

BARBOSA, C. Financiamento público das universidades estaduais baianas: restrições orçamentárias, expansão universitária e desenvolvimento local. 2013. Tese (Doutorado em Educação e Contemporaneidade) – Departamento de Educação, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2013.

BARROSO, J. Gênese e evolução da organização pedagógica e da administração dos liceus: uma investigação no cruzamento de várias disciplinas. Análise Psicológica, v. 4, n. XIV, p. 487-506, 1996. Disponível em: http://repositorio.ispa.pt/bitstream/10400.12/3202/1/AP_1996_4_487.pdf. Acesso em: 13 jun. 2019.

BARROSO, J. A administração educacional e a abordagem sociológica das organizações educativas. In: BARROSO, J. Políticas educativas e organização escolar. Lisboa: Universidade Aberta, 2005. p. 11-40.

BOAVENTURA, E. A construção da universidade baiana: origens, missões e afrodescendência. Salvador: Edufba, 2009.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2017]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 22 jul. 2019.

CHAUI, M. Escritos sobre a universidade. São Paulo: Editora Unesp, 2001.

CONCEIÇÃO, S. Plantar, cuidar e fortalecer: interdisciplinaridade, método e relevância social na trajetória profissional da docência universitária. Salvador, 2019. No prelo.

CUNHA, L. Ensino superior e universidade no Brasil. In: LOPES, E.; FARIA FILHO, L.; VEIGA, G. (org.). 500 anos de educação no Brasil. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, p. 151-204.

DOWBOR, L. Educação e desenvolvimento local. IBAM, ano 52, n. 261, p. 15-30, jan.-mar., 2007. Disponível em: http://lam.ibam.org.br/predownload.asp?area=4&arq=04_educac261.pdf. Acesso em: 8 jul. 2019.

FIALHO, N. A missão da universidade. Educação e Contemporaneidade, Salvador, n. 10, p. 25-40, jul./dez. 1998.

FIALHO, N. Universidade multicampi. Brasília: Plano Editora, 2005.

FIALHO, N. Universidades estaduais no Brasil: pauta para a construção de um sistema nacional articulado de educação. Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 21, n. 38, p. 81-93, jul./dez. 2012.

FINGER, A. (org.). Gestão de universidades: novas abordagens. Curitiba: Champagnat, 1997.

GIL, A. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOEBEL, M.; MIURA. M. A universidade como fator de desenvolvimento: o caso do município de Toledo – PR. Expectativa, Toledo, v. 3, p. 35-47, 2004. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/expectativa/article/view/743/628. Acesso em: 23 jul. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Microdados. Censo da educação superior 2017. Brasília, DF: INEP, 2018. Disponível em: http://download.inep.gov.br/microdados/microdados_educacao_superior_2017.zip. Acesso em: 17 jul. 2019.

LAKATOS, E.; MARCONI, M. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LANZILLOTTI, V. Reengenharia na universidade: uma interface possível? In: FINGER, A. (org.). Gestão de universidades: novas abordagens. Curitiba: Champagnat, 1997. p. 25-58.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1999.

LEITÃO, S. A questão organizacional na universidade: as contribuições de Etzioni e Rice. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 4, p. 3-26, out./dez. 1985. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/download/10050/9051. Acesso em: 13 jul. 2019.

LIMA, L. A escola como organização educativa. São Paulo: Cortez, 2003.

MEYER JR., V. A prática da administração universitária: contribuições para a teoria. Universidade em Debate, v. 2, n. 1, p. 12-26, jan./dez. 2014. Disponível em: http://www2.pucpr.br/reol/index.php/universidade?dd1=14749&dd2=7188&dd3=pt_BR&dd99=pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

MOTA JÚNIOR, A.; CONCEIÇÃO, S. Política de financiamento das universidades estaduais baianas: desafios e reflexões. In: FIALHO, N. (org.). Universidades estaduais e financiamento da educação superior da Bahia. Salvador: Eduneb, 2016, p. 139-204.

NEVES, E. A ação do governo do estado no processo de interiorização do ensino superior na Bahia. Sitientibus, Feira de Santana, n. 4, v. 7, p. 113-117, 1987.

OLIVEN, A. Histórico da educação superior no Brasil. In: SOARES, M. (org.). A educação superior no Brasil. Brasília, DF: Capes, 2002, p. 31-42.

RIBEIRO, N. Administração acadêmica universitária: a teoria, o método. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1977.

RIBEIRO, R. A natureza da gestão universitária: influência de aspecto político-institucionais econômicos e culturais. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, v. 3, n. 2, p. 357-278, maio-ago. 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8650609. Acesso em: 5 abr. 2019.

SANDER, B. Gestão da educação na América Latina. Campinas: Autores Associados, 1995.

SANDER, B. O estudo da administração da educação na virada no século. In: MACHADO, L.; FERREIRA, N. (org.). Política e gestão da educação: dois olhares. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2002. p. 55-68.

SANDER, B. A administração da educação no Brasil: genealogia do conhecimento. Brasília: Liber Livro, 2007.

SANTOS, B. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SANTOS, B. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

SCHLICKMANN, R. Administração universitária: em busca de uma epistemologia. In: Colóquio Internacional sobre Gestão Universitária da América do Sul, 9., 2009, Florianópolis. Anais eletrônicos [...]. Florianópolis: INPEAU/UFSC, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/39578. Acesso em: 5 abr. 2019.

SCHLICKMANN, R. Administração universitária: desvendado o campo científico no Brasil. 2013. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/103549/317404.pdf. Acesso em: 23 mar. 2019.

SOUZA, I. Gestão das universidades federais brasileiras: uma abordagem fundamentada na gestão do conhecimento. 2009. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009. Disponível em: http://btd.egc.ufsc.br/wp-content/uploads/2010/06/Irineu-Souza.pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

SYENA, O. Tipos de racionalidade na lógica de ação de dirigentes de organizações universitárias brasileiras. 1993. Dissertação (Mestrado em Administração) – Centro Sócio-Econômico. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1993. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/75862. Acesso em: 10 jul. 2019.

TEIXEIRA, A. Ensino superior no Brasil: análises e interpretações de sua evolução até 1969. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1989.

TEIXEIRA, A. Educação e Universidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2010.

WANDERLEY, L. O que é universidade? São Paulo: Brasiliense, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Práticas em Gestão Pública Universitária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E DIRETÓRIOS

Google Acadêmico | sumários.org  | LivRe! | Diadorim | Latindex | DOAJ