ANÁLISE DOS MÉTODOS DE CONTROLE E SANEAMENTO DO ACERVO PATRIMONIAL DE UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA

Lilian Wrzesinski Simon

Resumo


A administração patrimonial é responsável pelo cuidado com os recursos públicos investidos em imobilizado, tarefa esta por vezes trabalhosa e desafiadora aos seus gestores e executores. Este artigo busca analisar as práticas de controle e saneamento do acervo patrimonial de uma universidade pública e sua contribuição para a racionalização dos recursos investidos em materiais permanentes. Os aspectos teóricos utilizados nesta abordagem partem das concepções de autores que relacionam essas práticas sob a ótica de sua aplicação tanto em instituições públicas quanto privadas. Essas experiências servem de embasamento para a análise de um caso prático a partir de documentos e processos adotados em uma instituição pública de ensino superior. Para tanto, utiliza-se como procedimentos metodológicos a pesquisa descritiva aliada ao estudo de caso. Neste contexto organizacional, observa-se que a preocupação com o controle e a conservação do acervo e a busca por melhorias para facilitar a operacionalização de processos existentes é constante. Os resultados demonstram que apenas ações de controle não são suficientes para uma gestão patrimonial eficiente. Por isso, entende-se que além do controle, é preciso adotar medidas de padronização, manutenção, avaliação e desfazimento dos bens. Espera-se que os métodos de controle e saneamento de bens adotados nesta organização aqui apresentados possam ser transpostos para outras instituições, sendo adaptados de acordo com a natureza e especificidades de seus materiais e as funções para as quais eles poderão ser utilizados.


Palavras-chave


Materiais permanentes; Controle patrimonial; Saneamento de bens.

Texto completo:

PDF

Referências


BERNARDES, J. F. Administração patrimonial nas instituições públicas federais no contexto da gestão do conhecimento. Florianópolis: BU/UFSC, 2010.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: 1988, com as emendas constitucionais. Disponível em: . Acesso em: 06 fev. 2016.

_______. Decreto nº 6.087, de 20 de abril de 2007. Altera os arts. 5º, 15 e 21 do Decreto nº 99.658, de 30 de outubro de 1990, que regulamenta, no âmbito da Administração Pública Federal, o reaproveitamento, a movimentação, a alienação e outras formas de desfazimento de material, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 08 fev. 2016.

_______. Decreto nº 99.658, de 30 de outubro de 1990. Regulamenta, no âmbito da Administração Pública Federal, o reaproveitamento, a movimentação, a alienação e outras formas de desfazimento de material, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 08 fev. 2016.

_______. Decreto-Lei nº 200, de 25 de fevereiro de 1967. Dispõe sobre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 04 fev. 2016.

_______. Decreto-Lei nº 2.300, de 21 de novembro de 1986. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2016.

_______. Emenda Constitucional nº 19, de 04 de junho de 1998. Modifica o regime e dispõe sobre princípios e normas da Administração Pública, servidores e agentes políticos, controle de despesas e finanças públicas e custeio de atividades a cargo do Distrito Federal, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 06 fev. 2016.

_______. Instrução Normativa nº 04, de 17 de fevereiro de 2009. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2016.

_______. Instrução Normativa nº 205, de 08 de abril de 1988/SEDAP. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2016.

_______. Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 24 fev. 2016.

_______. Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964. Estatui Normas Gerais de Direito Financeiro para elaboração e controle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal. Disponível em: . Acesso em: 04 fev. 2016.

_______. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. . Acesso em: 15 fev. 2016.

_______. Lei nº10.520, de 17 de julho de 2002. Institui, no âmbito da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, nos termos do art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, modalidade de licitação denominada pregão, para aquisição de bens e serviços comuns, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2016.

DI PIETRO, M. S. Z. Direito Administrativo. 27. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed.São Paulo: Atlas, 2002.

KARDEC, A.; NASCIF, J. Manutenção função estratégica. 4. ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2012.

MARTINS, P. G.; ALT, P. R. Administração de materiais e recursos patrimoniais. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

PORTARIA CONJUNTA STN/SOF Nº 1, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. Disponível em: . Acesso em: 05 mar. 2016.

SANTOS, G. dos. Gestão patrimonial. 4. ed. ampliada e atualizada. Florianópolis: Secco, 2012.

SIAFI. Plano de Contas Aplicado ao Setor Público -- PCASP/2015. Disponível em: . Acesso em: 26 fev. 2016.

SISTEMA DE SOLUÇÃO INTEGRADA PARA GESTÃO PÚBLICA (SOLAR). Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2016.

UFFS. A UFFS. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2016.

______. Superintendência de Gestão Patrimonial. Instruções Normativas. Disponível em: Acesso em: 03 mar. 2016.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução Daniel Grassi. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Práticas em Gestão Pública Universitária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E DIRETÓRIOS

Google Acadêmico | sumários.org  | LivRe! | Diadorim | Latindex | DOAJ