PLANO DE AÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA O CARGO TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS

Adriana Manzolillo Sanseverino, Carlos Francisco Simões Gomes

Resumo


Nas Instituições Federais de Ensino, as atribuições do cargo Técnico em Assuntos Educacionais referem-se ao processo educativo e, por isso, a graduação em Pedagogia ou outra Licenciatura é exigida. Entretanto, os servidores têm desempenhado tarefas administrativas. Este artigo constitui a etapa final de uma pesquisa sobre a atuação do Técnico em Assuntos Educacionais e seu objetivo é elaborar um plano de ação para o cargo. O referencial teórico inclui estudos sobre gestão de pessoas e sobre a universidade. A metodologia utilizada foi a pesquisa-ação. Os instrumentos de coleta de dados aplicados em etapas anteriores contribuíram para a elaboração do plano, assim como a ferramenta de gestão da qualidade 5W1H. As contribuições desta pesquisa podem orientar gestores e profissionais, definindo o papel do Técnico em Assuntos Educacionais.


Palavras-chave


Gestão de Pessoas; Cargo Público; Universidade; Técnico em Assuntos Educacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


ÁVILA, J. N.; GILLEZEAU, B. P. Autonomía universitaria y su misión transformadora: enfoque teórico-histórico. Revista de Ciencias Sociales, v. 16, n. 1, p. 169-178, mar. 2010.

BIANCHETTI, L.; MAGALHÃES, A. M. Declaração de Bolonha e internacionalização da educação superior: protagonismo dos reitores e autonomia universitária em questão. Avaliação, v. 20, n. 1, p. 225-249, mar. 2015.

BRASIL. Lei no 11.091, de 12 de janeiro de 2005. Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação, no âmbito das Instituições Federais de Ensino vinculadas ao Ministério da Educação, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 13 jan. 2005. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2014.

CONTRERAS, F. A. G.; HIDALGO, M. E. R.; MILLÁN, A. G. L.; FERNÁNDEZ, P. E. V. Teoría de agencia (TA): supuestos teóricos aplicables a la gestión universitaria. Revista Innovar, v. 25, n. 57, p. 10-25, jul./set. 2015.

ELSTEIN, D. La importancia de la motivación económica. Cuadernos del Centro de Estudios en Diseño y Comunicación, n. 45, p. 189-202, 2013.

FIUZA, G. D. Políticas de gestão de pessoas, valores pessoais e justiça organizacional. Revista de Administração Mackenzie, v. 11, n. 5, p. 55-81, set./out. 2010.

FONSECA, D. R.; MENESES, P. P. M.; SILVA FILHO, A. I.; CAMPOS, N. G. Autonomia para gestão estratégica de pessoas no setor público federal: perspectivas de análise e agenda de pesquisa. Revista de Administração Pública, v. 47, n. 6, p. 1451-1475, nov./dez. 2013.

FREITAS, R. C. V. de; DACORSO, A. L. R. Inovação aberta na gestão pública: análise do plano de ação brasileiro para a Open Government Partnership. Revista de Administração Pública, v. 48, n. 4, p. 869-888, jul./ago. 2014.

GARCÍA, J. M. S.; VILLANUEVA, L. G. Debates y perspectivas sobre la autonomía universitaria. Revista Electrónica de Investigación Educativa, v. 14, n. 1, p. 56-69, jan. 2012.

GROPPO, L. A. Da universidade autônoma ao ensino superior operacional: considerações sobre a crise da universidade e a crise do Estado Nacional. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, v. 16, n. 1, p. 37-55, mar. 2011.

HERRERA LLAMAS, J. A. La educación superior. Caballo de Troya: ¿gubernamentalidad o autonomía?. Revista Colombiana de Educación, n. 65, p. 279-292, jul./dez. 2013.

HORTA, P.; DEMO, G.; ROURE, P. Políticas de gestão de pessoas, confiança e bem-estar: estudo em uma multinacional. Revista de Administração Contemporânea, v. 16, n. 4, p. 566-585, jul./ago. 2012.

KLEIN, F. A.; MASCARENHAS, A. O. Motivação, satisfação profissional e evasão no serviço público: o caso da carreira de especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental. Revista de Administração Pública, v. 50, n. 1, p. 17-39, jan./fev. 2016.

LADEIRA, W. J.; SONZA, I. B.; BERTE, R. S. Antecedentes da satisfação no setor público: um estudo de caso na prefeitura de Santa Maria (RS). Revista de Administração Pública, v. 46, n. 1, p. 71-91, jan./fev. 2012.

LIMA , J. O.; SILVA, A. B. Determinantes do desenvolvimento de competências coletivas na gestão de pessoas. Revista de Administração Mackenzie, v. 16, n. 5, p. 41-67, set./out. 2015.

MAEKAWA, R.; CARVALHO, M. M. de; OLIVEIRA, O. J. de. Um estudo sobre a certificação ISO 9001 no Brasil: mapeamento de motivações, benefícios e dificuldades. Gestão & Produção, v. 20, n. 4, p. 763-779, nov. 2013.

MANGARINOS-TORRES, R.; PEPE, V. L. E.; OSORIO-DE-CASTRO, C. G. S. Estruturação da assistência farmacêutica: plano de ação para a seleção de medicamentos essenciais. Cadernos Saúde Coletiva, v. 21, n. 2, p. 188-196, abril/jun. 2013.

MARQUES, A. L.; BORGES, R.; REIS, I. do C. Mudança organizacional e satisfação no trabalho: um estudo com servidores públicos do estado de Minas Gerais. Revista de Administração Pública, v. 50, n. 1, p. 41-58, jan./fev. 2016.

MARTINS, H. T. Gerenciamento da carreira proteana: contribuições para práticas contemporâneas de gestão de pessoas. In: COSTA, I. de S. A. da; BALASSIANO, M. Gestão de carreiras: dilemas e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2013. p. 81-93.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (Brasil). Ofício Circular n. 015/2005/CGGP/SAA/SE/MEC, de 28 nov. 2005. Encaminha a descrição dos cargos técnico-administrativos em educação, que foram autorizados pelo Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão para concurso público. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2013.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA (Brasil). Considerações sobre a situação atual dos Técnicos em Assuntos Educacionais no MEC. Brasília, mar./1979. Disponível em: . Acesso em: 8 set. 2013.

OLETO, A. de F.; MELO, M. C. de O. L.; LOPES, A. L. M. Análise bibliométrica da produção sobre prazer e sofrimento no trabalho nos encontros da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração (2000-2010). Psicologia: Ciência e Profissão, v. 33, n. 1, p. 60-73, 2013.

OPRIME, P. C.; MONSANTO, R.; DONADONE, J. C. Análise da complexidade, estratégias e aprendizagem em projetos de melhoria contínua: estudos de caso em empresas brasileiras. Gestão & Produção, v. 17, n. 4, p. 669-682, nov. 2010.

SIQUEIRA, V. T. A.; KURCGANT, P. Satisfação no trabalho: indicador de qualidade no gerenciamento de recursos humanos em enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 46, n. 1, p. 151-157, fev. 2012.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 18 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

______. Pesquisa-ação nas organizações. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Práticas em Gestão Pública Universitária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E DIRETÓRIOS

Google Acadêmico | sumários.org  | LivRe! | Diadorim | Latindex | DOAJ