"Prezadíssimos ouvintes": o virtual, o midiático e o tecnológico na obra cancional de Itamar Assumpção

Juliano Nogueira de Almeida

Resumo


Para o inquieto e inventivo cancionista Itamar Assumpção, a qualidade
de seu trabalho artístico não deveria ser sacrificada em troca de rentáveis contratos com gravadoras, com produtoras ou com os canais de “comunicação de massa”. Mesmo que algumas vezes estivesse aparentemente no caminho desses grandes canais, Itamar jogava, debochava e arremedava, demonstrando aparentes ambivalências que testemunham a sua perspicácia e coragem ao lidar com os ditames da
“Indústria Cultural” e com o poder da grande mídia. Itamar Assumpção também tratou em suas canções e performances das reconfigurações do cotidiano vivenciadas pela intensificação dos usos das novas tecnologias informacionais e de telecomunicação. Mesmo considerando a possibilidade de as tecnologias mediarem a relação entre os viventes, e até mesmo entre os amantes, Itamar, com humor e crítica, ponderou,
por meio de sua canção, que prefere o contato direto entre os corpos ao uso inadvertido e deslumbrado das novas mídias e aparatos tecnológicos.


Palavras-chave


canção; mídia; tecnologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Policromias - Revista de Estudos do Discurso, Imagem e Som

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Policromias é a publicação do LABEDIS - Laboratório de Estudos do Discurso, Imagem e Som, coordenado pela Profa. Dra. Tania Conceição Clemente de Souza e vinculado ao Museu Nacional (UFRJ).

              

 

 

 

 


Licença Creative Commons

A Policromias utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.