Freyreiss e os índios

Rafael Chaves Santos

Resumo


Este artigo objetiva evidenciar, com o auxílio da análise linguística,
alguns estereótipos presentes nas descrições do índio brasileiro no relato de viagem do alemão Georg Freyreiss, que permaneceu em nossas terras durante 12 anos, no início do século XIX. Freyreiss esteve em contato direto com tribos indígenas de diferentes etnias e dedicou uma boa parte de suas obras para descrever suas experiências e sua visão sobre os habitantes originais do Brasil. Essas descrições são entendidas como práticas sociais que circularam e permanecem até hoje presentes nos discursos dos brasileiros sobre os indígenas, reafirmando alguns estereótipos dos índios e, ao mesmo tempo, traduzindo a visão eurocentrista de sociedade e o padrão cultural europeu.


Palavras-chave


Freyreiss; relatos de viagem; índios; análise linguística; estereótipos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Policromias - Revista de Estudos do Discurso, Imagem e Som

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Policromias é a publicação do LABEDIS - Laboratório de Estudos do Discurso, Imagem e Som, coordenado pela Profa. Dra. Tania Conceição Clemente de Souza e vinculado ao Museu Nacional (UFRJ).

              

 

 

 

 


Licença Creative Commons

A Policromias utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.