Análise de “um lugar ao sol”, documentário de gabriel mascaro, à luz da semiótica tensiva

Monclar Guimarães Lopes

Resumo


Sob a ótica tensiva da semiótica francesa, este artigo visa a analisar as estratégias enunciativas de “Um Lugar ao Sol”, documentário de Gabriel Mascaro. Premiado internacionalmente por sua obra, o autormostra-se um enunciador astuto ao sobrepor e costurar diferentes planos de conteúdo: intercala, ao programa narrativo de base -- constituído por relatos euforizantes de moradores de coberturas do Brasil --, outros dois de conteúdo disfórico, de modo a construir um contra-programa. Dessa forma, embora os conteúdos, separadamente, tendam a um andamento desacelerado e possuam o elã da lentidão, quando sobrepostos, são tonificados e acelerados, na medida em quese encontram amalgamados.Outrossim, “Um Lugar ao Sol” traz a percepção de um sujeito afeito à mestiçagem, uma vez que possui o acontecimento e a sintaxe concessiva em seu núcleo.

Palavras-chave


Semiótica francesa; Tensividade; Ritmo; Enunciação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Policromias - Revista de Estudos do Discurso, Imagem e Som

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Policromias é a publicação do LABEDIS - Laboratório de Estudos do Discurso, Imagem e Som, coordenado pela Profa. Dra. Tania Conceição Clemente de Souza e vinculado ao Museu Nacional (UFRJ).

              

 

 

 

 


Licença Creative Commons

A Policromias utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.