Paulo Silva sobre Carlos Gomes: notas sobre o ensino de contraponto nos séculos XIX e XX

Roberto Macedo

Resumo


Em 1936 era publicada uma edição da Revista Brasileira de Música comemorativa do centenário de nascimento de Antônio Carlos Gomes (1836-1896). Neste volume, um interessante artigo de Paulo Silva tratava dos estudos de contraponto e fuga do autor de Il guarany. Silva, professor de contraponto e fuga do então Instituto Nacional de Música, selecionou exemplos de exercícios de Gomes realizados na Itália sob a orientação de Lauro Rossi, professor e diretor do Conservatório de Milão. Em muitos desses exemplos, são apontados erros ou deslizes que Silva atribui, pelo menos em parte, às deficiências do método de ensino de Rossi. O presente trabalho busca encontrar as motivações, estéticas e ideológicas, subjacentes aos comentários presentes em seu artigo. A figura do partimento e seus desdobramentos na formação contrapontística de Gomes foram o ponto de partida para a discussão sobre o ensino do contraponto na Europa e no Brasil no século XIX e primeira metade do XX. A isso soma-se uma menção ao ambiente musical brasileiro à época em que o artigo de Silva foi publicado.

Palavras-chave


Carlos Gomes; Contraponto; Fuga; Partimento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.47146/rbm.v33i1.37017

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE MÚSICA ©2020 ISSN 0103-7595
Revista do Programa de Pós-Graduação em Música da UFRJ (PPGM-UFRJ)
Av. República do Chile, 330, Torre Leste, 21° Andar
Rio de Janeiro, RJ, Brasil – CEP 20031-370
E-mail: revista@musica.ufrj.br
Powered by: OJS