Conversibilidade da conta de capital, taxa de juros e crescimento econômico: uma avaliação empírica da proposta de plena conversibilidade do Real

Fábio Hideki Ono, Guilherme Jonas Costa da Silva, José Luis Oreiro, Luiz Fernando de Paula

Resumo


Recentemente, alguns economistas brasileiros, notadamente Arida e Bacha, têm defendido que os controles de capitais poderiam desajustar o mercado cambial, aumentar a taxa de juros e comprometer a performance macroeconômica do país. Este trabalho tem por objetivo analisar a validade empírica dos argumentos levantados pelos autores. Para tanto, realizam-se alguns testes econométricos a fim de captar as possíveis implicações dos regimes da conta de capital sobre a economia. Os resultados encontrados não dão sustentação empírica à tese anteriormente defendida; ao contrário, a ausência de controles de capitais mais severos pode ter sido um dos fatores responsáveis pela excessiva volatilidade da taxa de câmbio e por a taxa de juros estar em patamares tão elevados. Além disso, a análise de painel realizada para diversos países não comprovou a hipótese de uma relação positiva entre conversibilidade da conta de capitais e crescimento. 

Palavras-chave


liberalização financeira; conversibilidade da conta de capital; crescimento econômico

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Fábio Hideki Ono, Guilherme Jonas Costa da Silva, José Luis Oreiro, Luiz Fernando de Paula

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
Fax: 55 21 2541-8148
e-mail: rec@ie.ufrj.br